Reportagens Especiais

Uma vitrine, uma história e duas paixões

Nina Rosa Rankrappes coleciona bonecas Barbie há 13 anos e uniu o amor por elas e pela cidade em coleção inspirada na Femaçã.

Quem passa pela Avenida Júlio de Castilhos, no centro de Veranópolis, fica encantado com uma vitrine inusitada. A loja Sol da Meia Noite inovou ao expor a coleção de bonecas Barbie usando os trajes oficiais das Soberanas ao longo das 10 edições da Femaçã, de 1971 até 2019. É de encher os olhos com tantos detalhes e semelhanças. É um verdadeiro giro no tempo, a evolução das vestimentas, que iniciaram com certa simplicidade, e chegam aos dias atuais com as soberanas com os corpos pintados. Sim, as Barbies também foram pintadas! Tudo foi meticulosamente observado, até os cabelos, os sapatos e a cor dos olhos.
Mas, para chegar até a vitrine, as Barbies têm muita história para contar. Além das que vestem os trajes das Soberanas, Nina Rosa Rankrappes é a colecionadora das peças e, num quarto de sua casa, no bairro Renovação, guarda um acervo com mais de 200 bonecas.
A coleção de Nina começou sem querer, quando ganhou de presente de aniversário de seu marido, Eloi Rankrappes, uma Barbie. A partir daí, o investimento nas bonecas foi altíssimo, até que se tornou uma colecionadora que, inclusive, adquire Barbies importadas. Bonecas somente para adultos, inspiradas em estrelas do cinema, como Marylin Monroe, entre outras. 
Os olhos da colecionadora brilham ao olhar e falar das Barbies. O mais interessante é que ela gosta de mexer nas bonecas, vesti-las, colocar e adquirir vestidos diferentes, enfim, ela brinca, se diverte e coleciona. “Gosto de customizá-las, pois às vezes gosto da boneca e não da roupa, entretanto, em alguns momentos só adquiro por causa das vestimentas”, conta, Nina. 

Nina cuida com muito amor das mais de 200 Barbies de sua coleção

E inspirada em Barbies que homenageiam países, como os Estados Unidos, Paris e Brasil, Nina teve a ideia de homenagear Veranópolis quando, há cinco anos, começou a ir em busca de vestidos e Barbies, para compor as cortes da Femaçã. 
Tudo foi muito pensado e arquitetado. As Barbies se assemelham às Imperatrizes e Princesas, como os penteados e inúmeros outros detalhes. Foi preciso encontrar as Barbies certas para representar cada uma das soberanas. Nina diz que pensou em fazer isso para ela devido a duas paixões: as bonecas e a cidade. 

Essas bonecas, por exemplo, representam as atuais soberanas. 

Porém, sua sobrinha, Kelen Rankrappes, dona da loja que expôs a coleção em sua vitrine, ficou encantada ao ver o início da coleção inspirada na Femaçã e achou que precisava ser exposta para valorizar toda a dedicação de Nina e encantar os veranenses e os visitantes. 

Kelen expôs as bonecas com os trajes das Soberanas da Femaçã

Na última Femaçã, em 2015, a coleção foi exposta, porém, ainda não estava completa. Então, para 2019, Nina e Kelen buscaram completar, com todas as cortes, sendo que apenas falta o traje de duas princesas. Os vestidos foram costurados inspirados nas fotos e relatos das Soberanas e seus familiares, pois muitas fotografias são em preto e branco. Alguns trajes foram feitos em São Paulo e outros em Porto Alegre, mas a maior parte foi confeccionada por duas costureiras veranenses, ou melhor, artistas. 
Leci Rodrigues e Marlete Cristina Carbonera, da Le Star Confecções, no bairro Santa Lúcia, aceitaram o desafio proposto. Elas costuraram 13 trajes. Foi preciso muito trabalho e dedicação para confeccionar os minivestidos, com os mínimos detalhes. Elas contam que fazê-los é muito difícil, pois são muito pequenos. Por isso, bastante tempo foi dedicado para a costura. Alguns, devido aos tecidos, foram mais demorados, outros menos. Elas gostam de fazer roupas de bonecas, inclusive, Leci conta que sempre teve o sonho de ter uma Barbie, que só ganhou com 40 anos. Por isso, ela adora fazer vestidos e roupinhas e presentear crianças, assim como a Marlete, que diz: “uma Barbie é o sonho de toda a menina!”. As costureiras, inclusive, já receberam pedidos de alguns vestidos, para as antigas soberanas. 

Marlete e Leci costuraram alguns dos vestidos.

Devido à falta de fotos que mostrem todos os detalhes dos trajes em vários ângulos, os vestidos não são réplicas, mas sim inspirações. Os vestidos da corte de 2015 foram costurados, inclusive, com retalhos dos trajes oficiais. 
A X Femaçã está representada com as Barbies com seus corpos pintados, assim como aparecem Fernanda, Bruna e Francine nos cartazes de divulgação. A artista responsável pela pintura nas bonecas é Janice Piccoli, que se ateve aos mínimos detalhes. O resultado final foi uma obra de arte.
Nina, Kelen, Leci e Marlete já se preparam para vestir as Barbies com os trajes oficiais da Femaçã deste ano, que ainda não foram divulgados. 
Graças a um trabalho conjunto de muita dedicação e pesquisa, a coleção ficou de encher os olhos de quem passa pela loja. Diariamente, muitas pessoas param em frente à vitrine e ficam por vários minutos observando todos os detalhes, lembrando das Soberanas reais, e as vendo representadas em Barbies. As Princesas e Imperatrizes, segundo Kelen, merecem receber destaque, devido a todo o trabalho que dedicam à festa. 
A paixão de Nina pelas bonecas e pela cidade resultou numa grande obra de arte que merece ser reconhecida, assim como todos que a auxiliarem para que ela se tornasse realidade.