Cerca de 3,8 milhões de gaúchos poderão realizar resgate emergencial do FGTS

 O resgate emergencial de R$ 1.045 do FGTS vai estar disponível para 3,8 milhões de contas no Rio Grande do Sul. A

 O resgate emergencial de R$ 1.045 do FGTS vai estar disponível para 3,8 milhões de contas no Rio Grande do Sul. A informação é da Caixa Econômica Federal. Segundo o banco, o valor previsto de movimentação no Estado é de R$ 2,4 bilhões.  

De acordo com o calendário divulgado no sábado (13), os valores estarão disponíveis em conta poupança digital a partir de 29 de junho, conforme calendário que leva em consideração o aniversário do beneficiário. Essa conta será criada pela Caixa para todos os trabalhadores que tiverem direito de receber. Após o crédito, já será possível pagar boletos e contas ou utilizar o cartão de débito virtual e QR code para fazer compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos, por meio do aplicativo CAIXA Tem. 

 Já o saque em espécie ou transferências para outras contas serão liberados a partir de 25 de julho, também conforme o aniversário do trabalhador. Os beneficiários poderão transferir os recursos para contas em qualquer banco, sem custos, ou realizar o saque em espécie nos terminais de autoatendimento da Caixa e em casas lotéricas.

 Consulta do valor creditado e recusa do benefício

É possível consultar o site www.fgts.caixa.gov.br para ver a data em que o valor será creditado. Quem não deseja receber o saque deve informar via aplicativo FGTS. A opção deve ser feita com pelo menos 10 dias antes da data prevista do crédito. Se o correntista não fizer nada e não mexer no dinheiro, ele será devolvido à conta do FGTS após o fim de novembro.

A conta poupança digital aberta não envolve a cobrança de tarifa. Mas a movimentação nela tem o limite de até R$ 5 mil.

A medida provisória 946, publicada em abril de 2020, liberou um resgate emergencial de R$ 1.045 do FGTS por trabalhador. A medida foi tomada por conta da pandemia do coronavírus, que afetou as atividades econômicas e renda dos trabalhadores.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: Gaúcha ZH