Décimo quarto paciente a se beneficiar de tratamento com plasma convalescente recebe alta em Caxias do Sul

O agente penitenciário Renan Trajano Sudré, 31 anos, recebeu alta hospitalar após confirmação da recuperação da covid-19 na última sexta-feira

O agente penitenciário Renan Trajano Sudré, 31 anos, recebeu alta hospitalar após confirmação da recuperação da covid-19 na última sexta-feira (14). Natural de Porto Alegre e com residência fixa em Arroio do Sal, Sudré trabalha na Penitência Regional, localizada na BR-116. Sem histórico de comorbidades, ele precisou de internação hospitalar no dia 10 de julho.

Após dois dias internados, Renan precisou ser transferido para a UTI e no dia 12 de julho foi beneficiado pelo tratamento de plasma convalescente. Ele foi o 14º paciente a passar pelo procedimento. Sudré conseguiu sair da Unidade de Terapia Intensiva no dia 3 de agosto e na última sexta-feira (14) foi liberado para casa.

O paciente afirmou estar emocionado com a sua alta hospitalar.

— A sensação de estar em casa é ótimo. Ainda mais após 34 dias no hospital, sendo 23 na UTI. Apesar de muito bem atendido pela equipe toda, mas nada melhor que a nossa casa, com os nossos familiares — conta Renan.

O doador de plasma de Renan foi o médico urologista caxiense Márcio Araldi, 36 anos. Araldi foi acometido pela doença em meados de maio, chegou a necessitar de internação hospitalar, mas não precisou de Terapia Intensiva. Em 2 de julho, ele efetivou a doação do seu plasma, que fora utilizado 10 dias depois na transfusão de Sudré.

Araldi comemorou com alegria a notícia da alta do paciente que recebeu o seu plasma.

— Em um contexto com pouquíssimas possibilidades terapêuticas, ter a esperança de tratamento na doação do plasma convalescente nos enche de esperança, principalmente quem já passou por isso e sabe do temor de se estar diante de um quadro que pode ser muito grave. Então, ao saber, que depois de tudo, pude ajudar alguém e que esta pessoa se beneficiou com um gesto tão simples da minha parte me faz muito feliz. Me fez me dar conta que às vezes são gestos bastante simples que fazem a diferença, que fazem valer a pena — relata o médico urologista e doador do plasma de Renan.

NOVA TRANSFUSÃO REALIZADA

A equipe médica do Hospital Virvi Ramos realizou na última sexta-feira (14) a 29ª transfusão de plasma convalescente. A paciente a ser beneficiada com o procedimento é uma mulher de 45 anos, natural de Caxias. Internada no dia 13 de agosto, ela recebeu duas bolsas de plasma, de 205ml e 196ml cada.

O doador é um homem de 28 anos. Natural de Caxias do Sul, ele doou no dia 25 de julho, quando estava há 47 dias recuperado da doença. 

Desde a primeira transfusão, em 26 de maio, todos os pacientes diagnosticados com a covid-19 que necessitaram de Terapia Intensiva no Virvi Ramos receberam plasma, sempre com o consentimento dos familiares. Nove já tiveram alta e estão em casa, oito faleceram e outros 12 seguem internados em recuperação em setor clínico ou de Terapia Intensiva.

Desde o dia 22 de maio, o Hemocentro Regional de Caxias do Sul (Hemocs), vinculado à Secretaria Municipal da Saúde (SMS), está realizando a coleta de plasma convalescente. A terapia foi instalada como uma alternativa de tratamento para o coronavírus, através do plasma coletado de pessoas que testaram positivo para a doença e estão recuperados há no mínimo 28 dias.

De lá para cá, 66 bolsas de plasma já foram coletadas pelo Hemocs. Dessas, 22 coletas foram por plasmaférese, de 17 doadores diferentes, todos homens, o que totalizou 57 bolsas. Além disso, nove foram feitas por meio de plasma convalescente obtido através do sangue total de doadores que testaram positivo para a presença de anticorpos IgG para a covid-19, ou seja, doadores captados após o teste realizado no próprio Hemocentro. 

Até o momento, 29 pacientes já se beneficiaram do tratamento de plasma convalescente no Hospital Virvi Ramos, em Caxias do Sul. A seleção dos doadores de plasma é feita pelo Hemocs e passa por avaliação rigorosa.

DOAÇÕES

As doações precisam ser agendadas pelos telefones (54) 3290-4543 e (54) 3290-4580 ou por meio do WhatsApp (54) 9929-7491. O Hemocs (Rua Ernesto Alves, 2260, ao lado da UPA Central) atende de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30min às 17h30min. No sábado o atendimento ocorre das 8h até 12h.

DOAÇÃO DE SANGUE CONVENCIONAL

Para doação de plasma por meio do chamado “sangue total”, que se refere à doação convencional de sangue, é necessário ter testado positivo para covid-19, pelo exame PCR ou teste sorológico, o que confirma que o indivíduo foi infectado, além de estar recuperado e sem sintomas há, no mínimo, 28 dias.

Podem doar homens e mulheres, entre 16 e 69 anos, 11 meses e 29 dias. No caso das mulheres, serão aceitas para doação aquelas que tiveram até duas gestações e/ou abortos. Na doação, ocorre a realização do teste sorológico para a detecção dos anticorpos. O plasma é destinado para uso compassivo.

DOAÇÃO DE PLASMA POR AFÉRESE

Na doação por aférese, alguns pontos divergem do método através do sangue total. Também é necessário ter testado positivo para covid-19, pelo exame PCR ou teste sorológico, e estar recuperado e sem sintomas há no mínimo 28 dias.

No caso dos homens, podem doar aqueles entre 18 e 59 anos, 11 meses e 29 dias. Há uma realização prévia de teste sorológico para detecção dos anticorpos e bloco sorológico. O plasma é destinado para o projeto de pesquisa junto ao Hospital Virvi Ramos, que contempla apenas homens.

Para as mulheres, a idade é de 18 até 59 anos, 11 meses e 29 dias. Também serão aceitas mulheres que tiveram até duas gestações e/ou abortos. Ocorre, igualmente, a realização prévia do teste sorológico para detecção dos anticorpos e bloco sorológico. O plasma é destinado para uso compassivo.

Fonte: O Pioneiro