“É um dia muito triste, mas a segurança pública do RS segue firme e operante”, afirma governador sobre incêndio na SSP

Assim que desembarcou no aeroporto da capital, na manhã desta quinta, dia 15, o governador Eduardo Leite foi ao local,

Assim que desembarcou no aeroporto da capital, na manhã desta quinta, dia 15, o governador Eduardo Leite foi ao local, na rua Voluntários da Pátria, para acompanhar o trabalho dos servidores juntamente com vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, com outros secretários e chefes das forças de segurança, que compõe o gabinete de crise instalado para enfrentar o caso.

Após, foi realizada uma reunião para traçar as estratégias que serão tomadas daqui para frente, como a alocação dos serviços que funcionavam no prédio da SSP e a apuração das causas do incêndio, seguida de uma coletiva de imprensa para atualizar a população.

“É um dia muito triste para nós no governo do Estado, por causa dessa tragédia que envolve o prédio da SSP. Todo nosso foco está na busca dos dois servidores desaparecidos, que entraram no prédio justamente para garantir que todas as pessoas saíssem com segurança. Isso só comprova a dedicação e o heroísmo dos nossos agentes da segurança pública. Encontrá-los é a absoluta prioridade das nossas equipes, inclusive dar assistência às famílias dos servidores”, iniciou dizendo o governador.

Além disso, Leite destacou que, desde a noite de quarta-feira, dia 14, todo o governo trabalha para que não haja descontinuidade dos serviços de segurança e garantiu que todos seguem funcionando mediante soluções emergenciais, como o telefone 190 e o monitoramento de câmeras.

“Antes de qualquer coisa, quero deixar claro à população gaúcha que a segurança pública continua firme e operante, até porque a operação dos órgãos não se dá a partir diretamente deste prédio (que incendiou), mas nas tantas guarnições, delegacias e comandos da Brigada Militar e da Polícia Civil, e das vinculadas em seus diversos espaços. Além disso, boa parte dos processos são digitais, por isso a gente consegue manter esses serviços sem prejuízo à população. Por isso, estamos preocupados especialmente com os servidores”, reforçou o governador.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel César Bonfanti, a corporação foi informada do incêndio às 21h30min e os primeiros agentes chegaram ao local cerca de cinco minutos depois, iniciando pelo trabalho de evacuação das pessoas, o que foi fundamental para preservar vidas, e depois no combate às chamas. Os servidores desaparecidos estavam entre os primeiros a chegarem ao local. Segundo nota oficial da SSP, o oficial de serviço de dia de Porto Alegre, 1º Tenente Deroci de Almeida da Costa, e o 2º Sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, servidor do Comando-Geral da Corporação, que deslocou voluntariamente para auxiliar os colegas, são os dois servidores desaparecidos.

“Foram mais de 70 servidores envolvidos no combate às chamas. Fomos avisados às 21h30 e, cinco minutos depois, a primeira viatura chegou ao local, onde já havia um incêndio de grandes proporções. Imediatamente começamos a evacuação do prédio, pois a prioridade é sempre salvar vidas. As dificuldades de combate ao fogo foram grandes, uma característica de todos os grandes incêndios, especialmente em prédios altos. Agora, nosso foco é a busca dos nossos dois servidores. Estamos com equipes de busca e salvamento fazendo as buscas e, assim que houver condições, entraremos com cães treinados para buscas”, afirmou Bonfanti.

Ranolfo destacou que, paralelamente às buscas aos agentes e o rescaldo do incêndio, equipes da Secretaria de Obras e Habitação, do Instituto-Geral de Perícias (IGP) e da Defesa Civil estão fazendo a avaliação técnica e estrutural do prédio.

“Estamos tomando as primeiras providências quanto à alocação dos servidores e também o destino que será dado em relação ao prédio como um todo. Depois que houver a liberação da equipe de investigação e da perícia, a nossa ideia é demolir a estrutura e construir uma nova secretária”, afirmou o vice-governador.

SSP Fotos: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini

O Plano de Prevenção e Proteção Contra Incêndio (PPCI) do prédio foi aprovado em 6 de junho de 2018 e estava em execução. De acordo com o governador, o governo investiu mais de R$ 1 milhão para aperfeiçoar o plano, incluindo melhorias no sistema hidráulico. O cronograma de trabalho previa seis meses de execução, e estava, atualmente, no segundo mês.

“Havia, sim, um PPCI, mas isso não significa não haver incêndios. Significa ter um plano de contingência para prevenir e proteger as vidas, além de dar as condições de combate às chamas. O plano admite a possibilidade de incêndio, e determina o combate especialmente preservando vidas, como foi feito, com a evacuação imediata do prédio”, detalhou Leite.

Depois da entrevista coletiva concedida à imprensa, o governador e o vice-governador visitaram a sede do 9º Batalhão da Brigada Militar, em Porto Alegre, onde está funcionando provisoriamente o atendimento do 190.

SSP Fotos: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini

Fonte: SSP e Governo do RS