Secretaria da Saúde de Veranópolis reforça a importância de manter em dia a vacinação contra a Febre Amarela.

Devido às notificações de casos de Epizootia (bugios mortos e confirmados laboratorialmente para Febre Amarela) em diversos pontos do Rio

Devido às notificações de casos de Epizootia (bugios mortos e confirmados laboratorialmente para Febre Amarela) em diversos pontos do Rio Grande do Sul, a Secretaria da Saúde de Veranópolis reforça a importância de manter em dia a vacinação contra a Febre Amarela.

Os bugios (e os macacos-prego, no caso do RS), são considerados sentinelas da febre amarela e não causam riscos à população. Esses primatas servem como indicadores da presença do vírus no ambiente silvestre. Eles adoecem depois que são picados pelo mosquito transmissor, o Haemagogus. Humanos não vacinados são contaminados somente ao serem picados por esses mosquitos infectados. As pessoas não vacinadas que habitam regiões rurais ou silvestres, ou que se deslocam para essas áreas, estão sob risco de contrair a doença.

A melhor forma de prevenção à Febre Amarela é a vacinação, que está disponível para a população nas Unidades Básicas de Saúde do município. Também é importante lembrar que deve-se sempre usar repelentes em ambientes silvestres.

Crianças devem tomar a primeira dose aos 9 meses e um reforço aos 4 anos. Para as crianças que não realizaram a vacina no período, a recomendação é procurar orientações no seu Posto de Saúde de sua referência. A partir dos 5 anos, crianças que não foram vacinadas podem tomar apenas uma dose. Esta dose única deve ser aplicada até os 59 anos de idade. Pessoas que já realizaram pelo menos uma dose, já são consideradas imunizadas, sem necessidade de nova dose.