Social

Belezas da Serra: Conheça a Casa Saretta

A Casa Saretta é um dos maiores símbolos da imigração italiana e do desenvolvimento das comunicações em Veranópolis. Inicialmente, localizava-se na Av. Osvaldo Aranha, próxima ao atual Arco Sul. Hoje, encontra-se às margens da Rodovia BR 470, junto à Praça Centenária.
A primeira casa foi construída por Erasmo e Domênico Saretta, imigrantes italianos chegados ao Brasil em 1886, servindo como residência da família. Abrigava, também, a Coletoria Federal e os correios e telégrafos da cidade. Domênico Saretta era telegrafista e fotógrafo amador.


Entre os anos de 1906 e 1907, Domênico desenhou e construiu uma nova casa de dois pavimentos com tábuas sem emendas, totalmente em madeira de pinheiro araucária, em forma de chalé, com detalhes em lambrequins e telhas de madeira conhecidas como ”scandole”, típicas da arquitetura de imigração italiana.
Com o falecimento de Erasmo, a coletoria, correio e telégrafo foram transferidos para outro prédio. A casa pertenceu à família Saretta até 1980, quando faleceu Stela Saretta, última descendente da família a viver no local.
Em 1981, foi solicitado o tombamento da Casa Saretta como forma de preservá-la e transformá-la em um local turístico. O edifício foi tombado em 24 de janeiro de 1983 pelo IPHAE – Instituo do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado. Após, a casa foi adquirida pela prefeitura de Veranópolis, que a transferiu do terreno original para o local atual. Sua remoção foi feita após desmontagem da mesma e remontagem no novo espaço. 
As telhas de madeira originais haviam sido substituídas por telhas francesas. Na década de 1980, foram colocadas novamente telhas de madeira do tipo ”scandole”, por cima de uma telha mais moderna, apresentando a quem visita como eram as coberturas das casas na época da chegada dos imigrantes na região.
Ambiente histórico que nos faz meditar sobre os grandes feitos do colonizador italiano, a Casa Saretta abriga a Secretaria de Turismo e Cultura, o Centro de Atenção ao Turista e oferece produtos da região e das mãos habilidosas de artesãos da cidade.