Assembleia Legislativa reconhece Protásio Alves como a “Pérola da Serra Gaúcha”

A  Assembléia Legislativa do Estado o Projeto de Lei (PL) de autoria do deputado Vilmar Zanchin (MDB) que reconhece o

A  Assembléia Legislativa do Estado o Projeto de Lei (PL) de autoria do deputado Vilmar Zanchin (MDB) que reconhece o município de Protásio Alves como a “Pérola da Serra Gaúcha”.  A sessão ocorreu na terça-feira, 04.

O deputado Zanchin justificou sua solicitação de aprovação alegando que Projeto de Lei objetivou reconhecer o Município de Protásio Alves como a ‘Pérola da Serra Gaúcha’, tendo em vista as suas características socioeconômicas, geográficas e culturais.

Protásio Alves é um pequeno município privilegiado pelas belezas naturais, pela pureza do ar campestre, com matas e montes intocados, águas cristalinas e um povo acolhedor. A sua população, de pouco menos de dois mil habitantes, é de maioria formada por descendentes de italianos cujos antepassados deixaram como legado a rica cultura que é revivida no cotidiano atual através da fala do dialeto, das cantorias, da religiosidade, da conservação dos prédios históricos, da culinária e da hospitalidade. Símbolo dessa cultura é a atividade artesanal da “dressa”, trança feita com palha de trigo para confecção de chapéus, bolsas, cestas e adornos. Antes da pandemia, o município realizava duas festas características: o Festival da Cultura Italiana e a Festa do Colono e Motorista, ambas marcadas por muita alegria e confraternização. A atividade principal é a agricultura e pecuária.  Os principais produtos são o milho, a soja, o trigo, a fruticultura, suinocultura, avicultura e produção de leite. Outra atividade importante é a extração do basalto. Além disso, o turismo vem crescendo com milhares de pessoas visitando o município atraídos pelas águas termais, o ar puro, a tranquilidade e as belezas naturais.

A denominação foi criada pela Lei Municipal nº 1.478/2020 que reconheceu no âmbito municipal o título de “Pérola da Serra Gaúcha”, e no seu art. 2º assim dispõe: “…o município que é um pequeno tesouro guardado em meio à vegetação nativa, vales e águas do Rio da Prata e do Rio Turvo que circundam todo o território. Assim, em meio às águas, o município, como uma ostra, guarda os encantos e preciosidades que aqui se desenvolveram marcados pelas dificuldades e trabalho árduo dos primeiros imigrantes italianos…”.

A solicitação do reconhecimento da denominação foi solicitada em 2020 pelo então prefeito José Spanhol e pelo presidente da Câmara de Vereadores e hoje prefeito, Itamar Girardi.

Também o município solicitou registro da marca junto ao INPI, cujo processo foi deferido. 

Fonte: Sonia Reginato