Atração e retenção de mão de obra desafiam a indústria de Caxias do Sul

Das micro às gigantes. Com um funcionário ou milhares. Criadas em Caxias do Sul ou em outra cidade. Presentes apenas na terra

Das micro às gigantes. Com um funcionário ou milhares. Criadas em Caxias do Sul ou em outra cidade. Presentes apenas na terra em que surgiram ou com filiais espalhadas pelo mundo. Assim é composta a variada indústria caxiense. A cidade que é o segundo polo metalmecânico do país também contempla uma variedade quase incontável de segmentos industriais. Por aqui, é possível encontrar produtos para a cadeia leiteira, uma fábrica que trabalha exclusivamente com orgânicos e até uma linguiçaria artesanal. O setor chamado de motor da economia caxiense estará em festa na próxima quinta-feira (25), quando se comemora o Dia da Indústria.

Esse cenário diversificado e pujante é resultado de um reconhecido espírito empreendedor que se mistura à história local. Falando nisso, o Perfil Socioeconômico de Caxias do Sul lembra: foi a partir do final da década de 1960 que ocorreu a consolidação da indústria automobilística, o que proporcionou uma expansão da região. É um marco para Caxias, que tradicionalmente estava atrelada à vitivinicultura. “As indústrias de Caxias do Sul passaram de fornecedoras de peças e componentes para fabricação de produtos de alta qualidade, um feito que passou a refletir no setor de comércio e serviços, destacando-se como um centro de referência no segmento metalmecânico para a Serra Gaúcha”, pontua o documento.

A indústria representa 18% do número de estabelecimentos instalados em Caxias do Sul. Os dados mais recentes são de 2021. A cidade tinha um total de 66.943 empreendimentos, o que significa que cerca de 12 mil são indústrias. Apesar da representatividade e da importância que a indústria tem para a cidade, os desafios não param de surgir. E eles são também diversificados. Vão dos mais recentes, como a desorganização das cadeias de abastecimento mundial, até antigos conhecidos, como as dificuldades logísticas regionais. Mas é interessante notar como, independente do porte dos empreendimentos, existe uma preocupação específica com a mão de obra, seja a imediata ou a para o futuro.

fonte: Pioneiro