Prefeitura de Garibaldi adquire 40 aquecedores pelo triplo do preço de mercado

Moradores do município perceberam a discrepância dos valores e efetivaram a denúncia. A reportagem é do Portal Leouve.

Na manhã desta terça-feira (7), a reportagem do Portal Leouve recebeu a denúncia de moradores de Garibaldi que relataram a má utilização de recursos financeiros feita pela Prefeitura Municipal.

No dia 12 de novembro de 2019, a administração pública do município realizou a abertura de um edital de menor preço unitário para a aquisição de equipamentos e material permanente. Dentre os 21 produtos que seriam adquiridos, estavam inclusos 40 aquecedores de ambiente portáteis, com potência de 1500 a 2000 watts. Após o pregão, a prefeitura de Garibaldi comprou os aquecedores de uma empresa, situada na cidade de Giruá/RS, que venceu a licitação pelo valor unitário de R$ 275,00. Dessa forma, o investimento foi de R$ 11.000 para a compra dos climatizadores.

Confira a nota fiscal da compra abaixo (a identificação da empresa que venceu a licitação foi preservada):

Após cotação realizada pela reportagem do Portal Leouve, foi constatado que o valor unitário do mesmo produto vencedor da licitação custa em média R$ 93,33 em lojas de eletrodomésticos. No entanto, a prefeitura de Garibaldi gastou praticamente o triplo para realizar a aquisição dos bens. Confira abaixo alguns cotações encontradas na internet para o mesmo produto:

Moradores do município perceberam a discrepância dos valores e efetivaram a denúncia. Ainda, populares buscam explicações para o gasto mal feito de recursos do município.

A reportagem do portal Leouve buscou contato com a Prefeitura para esclarecimentos a respeito do caso. Confira a resposta na integra:

“O município foi contemplado com recursos financeiros da União para a aquisição de equipamentos e materiais permanentes. O Ministério da Saúde possui a Renem (Relação Nacional de Equipamentos e Materiais Permanentes) para o SUS, que já dá a especificação do equipamento, bem como sugere o valor máximo de aquisição. Por meio do Pregão 117/2019, tivemos várias empresas habilitadas que participaram e que fizeram a cotação do item, restando o valor final mencionado. Não há nenhuma irregularidade no processo e o mesmo foi aprovado pelo Conselho Municipal de Saúde.”

Fotos: Especial Leouve