Reforma e ampliação do centro cirúrgico e do obstétrico no Hospital de Nova Prata

HSJB terá ambientes para parto humanizado

O hospital de Nova Prata, o São João Batista, programa o início das obras de reforma e ampliação do centro cirúrgico e do obstétrico para quando diminuirem e estabilizarem as internações por covid-19.
O projeto prevê reforma nas quatro salas cirúrgicas (piso e paredes) e outra sala nova onde hoje está instalada a de recuperação que, por sua vez, também terá a capacidade de leitos ampliada de seis para nove, sendo dois exclusivos para pós-cesárea.
O centro obstétrico será instalado ao lado do atual bloco cirúrgico compreendendo sala de espera exclusiva e dois quartos equipados para parto humanizado: camas específicas, ambientes climatizados, som ambiente à escolha da paciente, luz de cromoterapia, área para movimentação, bola para exercícios, berço aquecido, além de todo o aparato humano. Um dos quartos também terá banheira. O objetivo é proporcionar um ambiente acolhedor e seguro tanto para a gestante quanto para o bebê. Cabe à mulher a decisão de optar pelo parto humanizado, desde que apresente boas condições físicas e nenhum risco à saúde do bebê
Além de todo o conforto no centro obstétrico, outra mudança beneficiará a mulher neste momento especial: da recepção, ela irá diretamente para o centro obstétrico, com direito a acompanhante, e após o nascimento, por elevador, até a maternidade, otimizando o deslocamento.
– O HSJB é referência para parto SUS para cinco municípios da região e faz parte da Rede Cegonha que tem como um dos requisitos oportunizar a escolha da gestante em um momento tão especial – explica o administrador do hospital, Marcos Santori.
As reformas e ampliações do centro cirúrgico e do obstétrico abrangem uma área de 899,67 metros quadrados.
– O projeto foi aprovado pela Vigilância Sanitária no final de 2019 e havíamos programado o início das obras para março de 2020 quando iniciou a pandemia do coronavírus que exigiu outros investimentos e protocolos – explica Marcos.
O projeto foi desenvolvido pelas arquitetas Euduci Lúcia Lazzarotto Stringhi e Júlia Cavalleri, da LS Arquitetura, e Maria Helena Endres Durli e Vanuza Campagnollo, da MHV Arquitetura.
Toda a estrutura é destinada a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), convênios e particulares.
Imagem ilustrativa e projeto de ampliação.
Via: Sonia Reginato