Que avanços as mulheres ainda precisam obter?

A reportagem d’O Estafeta foi às ruas ouvir as mulheres.

“Eu acredito que ainda falta. Respeito, acho que falta muito. Eu ando de moto. Quando os homens veem que nós somos mulheres e andamos de moto, eles não respeitam, vêm por cima, falta muito respeito ainda”.
Maristela Novarro Martinez 
Doméstica 

 

“Ainda faltam algumas coisas. Acho que em relação à valorização do salário e muitos outros sentidos, a mulher trabalha muito mais do que o homem e não é tão valorizada. Quando chegamos em casa, temos todo um trabalho pela frente, tem que fazer janta, almoço para o dia seguinte, limpar a casa, lavar roupa, … ”.
Adriana Reche 
Empresária

“Faltam avanços em relação à igualdade de salário, respeito e à questão do machismo. Somos menos valorizadas do que o homem, é nesse sentido que precisa avançar mais”. 
Francine Carbonera 
Cantora

 

 

“Falta muita coisa. Precisamos de mais respeito, e também na questão dos salários, deveria se igualar ao homem, ou até mais, por merecimento, porque a mulher tem mais coisas, mais problemas em função da família e do trabalho. Ela é muito mais dedicada. A mulher trabalha muito mais que o homem e precisa ser mais valorizada. Não valorizam o conhecimento, vão mais pelo físico da mulher, pelo padrão de beleza”.
Marosalba Alves Lotes
Aposentada

 

“Faltam muitos avanços, a mulher precisa de proteção perante os homens, vemos muitas notícias de mulheres sendo assediadas dentro de ônibus, na rua. A mulher passa e os homens dizem piadinhas, são coisas que não dá para admitir. Como diz a propaganda do carnaval: ‘Não é não!’. Precisamos de mais respeito!”.
Marlene Ciello Coser 
Aposentada

“Precisa de avanços ainda. Tem que ter mais respeito e valorização às mulheres. Agora, na Reforma da Previdência, querem colocar a mulher para aposentar-se com 62 anos, acho que isso é uma injustiça. A mulher começa de manhã o serviço e termina à noite, bem mais tarde que os homens, acho que temos que lutar muito ainda para a mulher ser mais valorizada”.
 Marta Junges
 Agricultora

“Falta muita coisa ainda em relação aos empregos; está muito difícil, a desigualdade de salários”.
Tânia Tonatto Pinheiro
Desempregada