Governo do RS realizará estudo para tentar resolver situação do IPE Saúde

Na última sexta-feira (03) o governo do estado do Rio Grande do Sul reuniu-se com federações hospitalares e representantes de

Na última sexta-feira (03) o governo do estado do Rio Grande do Sul reuniu-se com federações hospitalares e representantes de hospitais credenciados ao IPE Saúde. O encontro no Palácio Piratini foi realizado para buscar soluções para dívida de R$475 milhões do instituto e, ao mesmo tempo, não deixar os 992 mil beneficiários sem atendimento.

Após duas horas de debates, foi acordado que o governo estadual fará, nas próximas quatro semas um estudo para tentar alcançar um reequilíbrio nas dívidas. O governador, Ranolfo Vieira Jr. afirmou que “vamos buscar, nos próximos 30 dias, encontrar uma forma de pagamento do passivo que se acumula há mais de 90 dias“. O passivo ao qual o político se refere é de R$340 milhões (dividas vencidas há mais de três meses).

Outra decisão sobre o IPE Saúde e os prestadores de serviços (hospitais), é de que, durante o período do estudo, os atendimentos aos beneficiários serão mantidos. “O mais importante é garantirmos o atendimento dos 992 mil beneficiários deste plano e sua sustentabilidade. Temos um compromisso do governo do Estado sobre isso e tivemos a compreensão por parte dos hospitais. Essa saída será construída a várias mãos, entre o governo, o IPE Saúde e os prestadores de serviços”, afirmou o governador.

A tabela de medicamentos também foi pauta. Esta tem sido debatida em virtude dos valores que acarretam em prejuízo aos hospitais. Ao final da discussão no Palácio Piratini, foi definido que esta será mantida. A revisão na remuneração de diárias e na taxa de logística estão entre as possibilidades que serão debatidas no estudo técnico.  “Há um inquérito civil público em andamento e, por isso, não é possível retroceder nessa questão das tabelas. Buscaremos outras formas de equilíbrio a partir deste estudo, como reajustes em outras prestações de serviços que estejam defasadas. É muito importante continuar avançando nos ajustes que se fazem necessários”, disse o governador.

Solução já havia sido prometida pelo ex-governador Eduardo Leite

Ainda em março, antes de renunciar ao cargo de governador do estado do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite concedeu entrevista a um veículo de Porto Alegre para falar sobre o IPE Saúde e a busca por solução. A época, prometeu destinar recursos para tentar solucionar a crise, cujo valor da dívida aproximava-se de R$1,1 bi. “Não tenho dúvidas: temos novos pagamentos para serem feitos ao IPE, estamos viabilizando esses recursos, que vão ajudar a solucionar a crise imediata e uma série de medidas de reestruturação que vão ajudar a ter o controle maior para dar sustentabilidade a ele“.

A situação do IPE Saúde também vai em desencontro entre uma mensagem divulgada na televisão e redes sociais. O ex-governador fala em um vídeo do dia 25 de abril que o estado do Rio Grande do Sul tinha, antes do governo do tucano, “salários atrasados, dívidas com os hospitais, impostos aumentados e muita briga politica”. Porém, ao longo da gestão “Nós do PSDB viramos o jogo. Salários em dia, dívidas pagas, os menores impostos do país e os maiores investimentos em todas as áreas“.

A existente e não cessada dívida do IPE Saúde, até o dia 3 de junho, deve ultrapassar a casa dos R$500 milhões, uma vez que, mensalmente, o prejuízo do órgão é de R$40 milhões (mesmo com o pagamento dos beneficiários).

Fonte: Leouve