Dia do Trabalho é comemorado com o aumento de empregos formais

O Dia do Trabalho, ou Dia do Trabalhador é tratado como feriado nacional em vários países, entre eles Brasil, Portugal,

O Dia do Trabalho, ou Dia do Trabalhador é tratado como feriado nacional em vários países, entre eles Brasil, Portugal, Rússia, França, Espanha, Argentina, e outros. A data homenageia a luta daqueles que reivindicaram melhores condições trabalhistas, além de servir como reflexão para as legislações, normas e demais regras de trabalho.

Mesmo em meio a uma pandemia, os números apontam para o crescimento dos empregos formais em nosso país. Os dados são do Observatório do Trabalho, desenvolvido pela UCS. No mês de fevereiro, por exemplo, quando foi divulgado o último balanço, foram criados 401,6 mil empregos, o que representa um acréscimos de 1,01% dos postos de trabalho se comparado ao mês de janeiro. O maior registro de contratações tem sido dos setores de Serviços e Indústria, com 173,5 mil e 93,6 mil empregos abertos, respectivamente.

Os últimos 12 meses apresentaram resultado positivo, influenciado principalmente pelos setores da Indústria e da Construção, que criaram 175,2 mil e 133,9 mil empregos, respectivamente. 

O Rio Grande do Sul, neste mesmo mês também apresentou um resultado positivo. Foram 29,6 mil postos de trabalho criados. O acréscimo para o estoque de empregos foi de 1,16%, ou seja, foram mais 2,6 milhões de empregos com carteira assinada. Quem fomentou este saldo positivo foi a Indústria, que criou 16,7 mil empregos. Neste período, nenhum setor obteve um desempenho negativo.
Na Terra da Longevidade, neste mesmo período, foram abertos 129 empregos, sendo que, se compararmos ao ano passado, apenas 4 postos de trabalho foram preenchidos. Foram 367 admitidos e 238 desligados, nesse sentido, o município contou com um estoque de aproximadamente 7,1 mil empregos com carteira assinada.

A Indústria foi uma das grandes responsáveis; o aumento foi de 5,64%, com 214 postos abertos. Por outro lado, os setores de Serviços e Comércio foram os que mais demitiram nos últimos 12 meses, fechando 35 e 25 postos de trabalho, respectivamente.

No acumulado do ano de 2021, foram criados 245 empregos. Em 2020, apenas 33 vagas foram ocupadas, ou seja, o começo deste ano tem como característica uma maior contratação do que em 2020, quando foram fechados 281 empregos formais.

Cenário pelo ponto de vista do Sine

Estes dados também podem ser comprovados pelo Sine em Veranópolis. De acordo com Maíra Fáccio, gerente da agência, as vagas têm sido bem ofertadas, principalmente pela Metalurgia e pelo Comércio.

“Devido ao grande número de demissões que ocorreram ano passado, agora as empresas estão buscando preencher as vagas que ficaram. Este quantitativo tem reduzido de maneira considerável, ficando em torno de 70 a 80, enquanto em 2020 chegamos a ficar entre 100 e 200 nos meses de março, abril e maio”, declara.

O Sine estabeleceu uma parceria com a Secretaria de Indústria e Comércio, visando proporcionar um estreitamento de relações entre o candidato e a empresa, realizando as entrevistas nas dependências da agência.
“Foram 27 contratações em janeiro, e 28 em fevereiro. A mudança de bandeira prejudicou o projeto no mês de março, e apenas 6 foram contratados. Estamos retomando aos poucos, e já na semana que vem realizaremos entrevistas com candidatos para a Oleoplan”, revela. 

Por semana, a agência tem divulgado em média 80 vagas, lembrando que são inclusas vagas de municípios vizinhos. Maíra conta que no mês anterior, a cidade chegou a anunciar 100 postos de emprego disponíveis. Ela também comenta que a quantidade de pessoas oriundas de outras cidades e/ou Estados que buscam estabelecer-se em Veranópolis tem crescido.

“Essas pessoas têm vindo em busca de novas oportunidades, seja por terem família aqui, ou por Veranópolis oferecer mais opções se compararmos a onde estavam morando”, comenta.

Para encerrar, a gerente reforça as orientações para quem está em busca de emprego. “Ao se dirigir a nossa agência, o candidato deve estar portando seus documentos de identidade, CPF e carteira de trabalho. A partir desses dados, analisamos o perfil dele e dos lugares em que trabalhou, para assim, realizarmos o direcionamento das vagas em que essa pessoa melhor se encaixa e, se houver interesse, é feito o processo de encaminhamento para entrevista”, conclui.