Estacionamento Rotativo pode ser implantando em seis meses em Veranópolis

Vereadores analisam Projeto de Lei que tramita na Câmara

CONTEÚDO EXCLUSIVO O ESTAFETA:

Conseguir vaga para estacionar na área central de Veranópolis, em alguns horários ao longo dia, é um verdadeiro jogo de sorte. A cidade cresceu e atingiu a marca de 18 mil carros registrados em 2019, o fluxo de veículos de outros municípios que se deslocam à Terra da Longevidade cresceu, pessoas que estacionam pela manhã e só saem à noite são alguns dos fatores que evidenciam a dificuldade de encontrar uma vaga.
O assunto é recorrente! A criação do Estacionamento Rotativo chegou a tramitar na Câmara de Vereadores em 2016, no apagar das luzes da administração do então prefeito Carlos Alberto Spanhol, mas foi rejeitada por cinco votos a quatro. Naquela legislatura, votaram contra Celito Bortoli (PP), Lirio Soares (PP), Rudimar Calioni (PRB) Vladis Scorsatto (PV) e Moises Pertile (PSD). A base aliada votou a favor: Thomas Schiemann (PDT), Alice Peruffo (MDB), Irineu Machado (MDB) e Luis Carlos Comiotto (PDT).
Agora, o tema volta à pauta, mas ainda divide opiniões. O Secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Romeo Matielo Tedesco, frisa que a área será pequena e que não deve causar grande impacto, pois haverá quadras próximas do centro para quem, por exemplo, costuma utilizar o carro para se deslocar ao trabalho e estacionar nas proximidades. “Eu, particularmente, sou a favor do estacionamento rotativo com algumas ponderações. Ele tem que ser compacto para quem não quer gastar, mas também tem que ser acessível para quem quer estacionar com mais facilidade e ter acesso aos serviços”, pondera Romeo.
O Projeto de Lei que institui o Sistema de Estacionamento Rotativo Pago nas vias públicas de Veranópolis está em análise na Câmara de Vereadores. Se aprovado, o cidadão, para estacionar nas ruas abrangidas (veja quadro ao lado), terá que pagar aproximadamente R$ 2,00 por hora, de segunda a sábado, em horário comercial.
Das cerca de 500 vagas que farão parte da Zona Azul, 5% deverão ser destinadas a pessoas idosas e 2% para pessoas com necessidades especiais. Estarão isentos, ainda, do pagamento, veículos oficiais da Administração Pública, veículos da área da segurança pública, veículos de serviço de utilidade pública em conformidade com a Contran, veículos de transporte de passageiros, entre outros, desde que respeitem o regramento estabelecido para a área rotativa.
O valor arrecadado será utilizado para manutenção das vias, sinalização e, parte disso, cerca de 14% retornará para os cofres do município, para investimentos na cidade.
Segundo Romeo, modelos existentes nas cidades de Garibaldi e de Marau foram utilizados como base para a elaboração do projeto local.
A previsão é de que, na Câmara a tramitação tenha duração de até dois meses. Após, entre o processo de licitação e a implantação, a duração talvez seja de mais quatro meses. Com isso, a Zona Azul deve estar em vigor a partir de abril de 2020.
A atual Administração tem (em tese) facilidade maior de aprovação do projeto, pois conta com maioria na Câmara (diferentemente de 2016, quando a oposição tinha cinco parlamentares). Nesta legislatura, cinco vereadores se dizem pró-governo. 


Trechos que poderão receber o Estacionamento Rotativo

Avenida Oswaldo Aranha
Trecho compreendido entre as ruas Marechal Deodoro da Fonseca e São Francisco de Assis;
Avenida doutor José Montaury
Trecho compreendido entre as ruas Marechal Deodoro da Fonseca e 24 de Maio
Rua Marechal Deodoro da Fonseca
Trecho compreendido entre as Avenidas Osvaldo Aranha e doutor José Montaury
Rua Andrade Neves
Toda extensão
Avenida Júlio de Castilhos
Trecho entre a Avenida Osvaldo Aranha e a Rua Ernesto Alves
Rua Carlos Barbosa
Toda a extensão
Rua 24 de Maio
Trecho entre as Avenidas Osvaldo Aranha e doutor José Montaury
Observação: O Projeto de Lei, se aprovado, autorizará o município a ampliar a área azul, caso haja necessidade, sem passar novamente pela Câmara.


Assista a entrevista com o Secretário Romeo e saiba mais sobre o Projeto!