Saiba os motivos que levaram ao fechamento da Receita Estadual em Veranópolis

Um somatório de questões levou ao fechamento do escritório local.

Na semana passada, foi anunciado o fechamento do Escritório da Receita Estadual de Veranópolis, que se localizava na Avenida Osvaldo Aranha, e contava com uma servidora e dois estagiários.

O Delegado do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul, Marcelo Peresin, explica quais são os fatores que implicaram essa decisão: “É um somatório de questões, as dificuldades do Governo do Estado e a tentativa de diminuição dos custos; a falta de servidores e o oferecimento de muitos serviços pela internet, tornando desnecessária a presença física do servidor”, destaca. 
Segundo ele, os mais prejudicados com isso são as pessoas jurídicas, ou seja, as empresas. E ele salienta que a receita Estadual era um escritório Regional, que não atendia apenas Veranópolis, como também diversos outros municípios. 

Mesmo que a demanda de serviços seja muito menor do que anos atrás, existem serviços que só podem ser feitos diretamente no escritório da Receita, como por exemplo, alterações contratuais de forma jurídica e alteração de sócios.  A partir da última segunda, esses serviços precisarão ser realizados em Bento Gonçalves.

Marcelo compara a situação atual com o fechamento da Receita Federal no ano passado, quando, o poder público e outros setores conseguiram manter um posto que auxilia bastante, com resultados surpreendentes, de acordo com o próprio Delegado da Receita. “Agora, o esforço se concentra em tentar manter algumas atividades da Receita Estadual. Para isso, trabalhamos a praticamente um mês buscando soluções. No momento, temos a garantia da manutenção do escritório através da oferta de um novo local pela Prefeitura. E aguardamos confirmação do Estado sobre a forma que ficaria o atendimento. A princípio, teremos uma estrutura de receita estadual em outro formato e endereço”, coloca. 

A definição acontecerá nos próximos dias.