Final de semana será de tradicionalismo no ‘Rincão’

O 31º Rodeio Crioulo Nacional de Veranópolis do Centro de Tradições Gaúchas Rincão da Roça Reúna acontecerá neste ano, de

O 31º Rodeio Crioulo Nacional de Veranópolis do Centro de Tradições Gaúchas Rincão da Roça Reúna acontecerá neste ano, de 16 a 20 de janeiro, ou seja, inicia nesta quarta-feira e se encerra no domingo. O patrão Luiz Paulo Gregol está a frente desse importante evento realizado pelo CTG, no Parque de Eventos Nadyr Peruffo, localizado em Sapopema. Gregol, tradicionalista nato, está em sua sétima patronagem, sendo que já foi vice-patrão também, por quatro anos.
O CTG Rincão da Roça Reúna foi fundado em 1957 e, na época, seu patrão era Elias Ruas Amantino (in memoriamm). Segundo Gregol, no início, praticamente não existia campeira, existiam apenas algumas pessoas e invernadas. Porém, depois, o CTG ficou parado por cerca de 20 anos. Seu reinício foi em 1978/1979, quando voltaram as atividades com campeira, artística e os demais departamentos. Desde esse retorno, Gregol começou a fazer parte e sempre esteve abraçado à entidade e ao Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG). No final dos anos 1970, começou a realização dos rodeios no local onde está, atualmente, a Gráfica Reúna. “Dali em diante, foi sempre um sucesso, com o tempo fomos ao nosso parque, os rodeios sempre com casa cheia”, afirma ele.

A história por trás de um nome  

 A denominação do CTG de Rincão da Roça Reúna existe porque os tropeiros que passavam por Veranópolis a cavalo, paravam na região de Sapopema antes de seguirem caminho. Então, por isso, foi colocado ‘Rincão’, era onde eles acampavam.  ‘Roça’, pois ali plantavam sementes que germinavam e serviam de alimento no retorno de suas viagens; e ‘Reiúna’, porque eram terras do Rei. Depois, adotaram o local em que os tropeiros se reuniam. É assim que o patrão explica a origem do nome.
 Tendo em vista a magnitude do 31º Rodeio Crioulo Nacional de Veranópolis, muitos detalhes estão sendo observado, a fim de que tudo se ajuste antes do início do evento. E, para isso, uma equipe trabalha incessantemente, de acordo com Gregol, e que está presente para que tudo possa ser organizado nos mínimos detalhes para que todos possam se sentir acolhidos no evento. “Agradeço a patronagem, as coordenadoras artísticas, departamento cultural, campeiro, pois estamos praticamente todos os finais de semana em rodeios, divulgando o CTG e Veranópolis”, coloca. Recentemente, um grupo esteve no Paraná com cinco laçadores, para divulgar o grande evento e garantiram, inclusive, a presença de paranaenses no rodeio de Veranópolis.
 

 Intensa programação
Na quarta-feira, dia 16, iniciam os acampamentos e é dada a Ordem de Apresentação das modalidades da artística. E quinta-feira, dia 17, começa a programação campeira com o Individual de Laço, às 16h e, à noite, haverá um fandango com o Grupo Estirpe Campeira. Na sexta-feira, tem início as atividades de laço em diversas modalidades, tais como: Dupla Livre e Quinteto; e à noite haverá mais uma vez o Grupo Estirpe Campeira e o show com João Luiz Corrêa e Grupo Campeira.  
Com orgulho, o patrão coloca que “esse show é muito aguardado pelo público, pois há muito tempo que um grupo de nome não vinha ao rodeio. Esse será o show de comemoração ao 121° aniversário de emancipação do município de Veranópolis. Agradecemos o poder público que nos deu incentivo a trazer esse show, patrocinado pela prefeitura”.
No sábado à noite, dia 19, haverá Baile com o Grupo Sistema Antigo e após o show com Zezinho e Grupo Floreiro. E, no domingo, haverá a parte artística, com diversas entidades participando nas variadas modalidades.
Todos os shows e bailes são gratuitos, apenas é neces-sário pagar a entrada no parque, que estará dividido, em provas campeiras, shows e apresentações e acam-pamentos. O valor da entrada para quem possui cartão tra-dicionalista, mediante sua apresentação, é de R$ 5, ao dia. Para os demais, R$ 10. Há a possibilidade de adquirir pulseira, que vale para todos os dias do evento no valor de R$ 20. Os veículos deverão ser vistoriados na entrada para o Parque.
No total serão mais de R$ 40 mil em prêmios da artística e campeira. O patrão afirma que é uma premiação alta e que tem diversas modalidades. Na campeira: Laço Quinteto, Duplo, Família e a novidade do ano é a prova Crioulaço. E, na artística, existem as premiações individuais e em equipe.
 

Acampamentos
 Os terrenos para os acampamentos já estão sendo vendidos, com boa procura, segundo Gregol. A partir das 18h, todos os dias, o responsável pelas vendas, Kuki Zago, está disponível para realizar as comercializações de terrenos para acampamentos no CTG.
A respeito dos acampamentos, a patronagem pede compreensão das pessoas para que priorizem escutar músicas gaúchas ao invés de outros ritmos, tendo em vista que é um evento tradicionalista.
Outra questão que Gregol destaca é a previsão do tempo, todos estão ansiosos e torcem para que o tempo seja bom: “que São Pedro nos ajude”.


Investimentos futuros

Antes mesmo do rodeio acontecer, o CTG Rincão da Roça Reúna já está programando os demais compromissos de 2019. Graças à verba de emenda do deputado Estadual Ronaldo Santini (PTB), no valor de R$ 246 mil, serão realizadas as reformas das mangueiras e bretes, como também da casinha da comissão, da narração e dos juízes – estruturas antigas de madeira que serão sobstituídas e darão mais segurança aos competidores e visitantes.
O patrão destaca que as licitações já estão sendo feitas pela Prefeitura Municipal e as reformas deverão iniciar em fevereiro, pois em maio o CTG realizará o grande evento Laço, Serra e Campo, que já está sendo pensado pela patronagem. Após, em agosto, haverá o Jantar dos Sócios, e o Baile da Prenda Jovem, que voltará a ser na data correta, que é o último sábado de setembro.
Além disso, o CTG já possui um projeto futuro, que é a cobertura das arquibancadas, cancha e parte frontal dos bares. Com o projeto pronto, o que faltará, segundo Gregol, são os recursos, a parte financeira. A meta é de que em cerca de três anos o trabalho seja concluído. “Esse é um sonho de todos os tradicionalistas de Veranópolis”, conclui. Uma das melhorias será na parte das arquibancadas. Muitas vezes, devido às chuvas, os visitantes não conseguem acompanhar as provas campeiras.