FGF espera pela aprovação da retomada do Gauchão com duas mudanças e começo entre julho e agosto

Clubes sinalizaram apoio à proposta da federação, e reunião definitiva será às 14h desta quarta

Uma reunião às 14h desta quarta-feira (13) vai definir os rumos do Gauchão 2020. Os clubes votarão a proposta da Federação Gaúcha de Futebol (FGF) que apresenta duas mudanças na fórmula para o restante do campeonato: não haverá rebaixamento e serão aceitas novas inscrições de jogadores. A ideia é retomar os jogos nos últimos dias de julho ou nos primeiros de agosto, de acordo com o cenário do Estado no combate ao coronavírus. Recebendo o sim das autoridades sanitárias, a bola voltará a rolar, e a competição será finalizada no campo. Obviamente, as partidas ocorrerão sem torcida.

Um fato curioso impediu que a proposta da FGF fosse aprovada na terça-feira mesmo e já apresentada ao Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), órgão responsável por validar mudanças em regulamentos em meio a competições: o presidente do Brasil-Pel, Ricardo Fonseca, ficou sem bateria no celular. Fora da parte final da reunião, não pôde votar. Quando finalmente conseguiu carregar o aparelho, ligou para o colega Gilmar Schneider, mandatário do Pelotas, para buscar as informações. Ao ser informado dos últimos detalhes, confirmou que votará a favor da proposta.

O voto xavante foi o único que faltou. Todos os demais clubes sinalizaram positivamente para o plano de retomada do Estadual. 

Com a nova proposta, o Gauchão 2021 terá 14 participantes — já que a Divisão de Acesso também será finalizada em campo e manterá dois times subindo para a elite do futebol gaúcho — e quatro rebaixados, devolvendo o número atual, 12, para a edição de 2022. 

Outra mudança será a liberdade de inscrições. Os clubes poderão incluir novos atletas em suas listas, que não terão mais restrições. Assim, os representantes em competições nacionais, por exemplo, montarão seus grupos já pensando no futuro do calendário. Os atletas devem ser chamados para reapresentação na metade de julho. Eles passarão por um período de intertemporada, e a ideia é jogar depois de duas semanas, se houver condições pelos órgãos de saúde.

No entendimento dos dirigentes, o fim do rebaixamento seria a medida adequada para contrabalançar a mudança nos grupos de jogadores. As novas contratações poderiam causar um desequilíbrio técnico ainda maior neste momento. Até então, cinco clubes corriam mais risco de queda: Brasil-Pel, que tem oito pontos; Novo Hamburgo e Juventude, com seis; Pelotas, que somou cinco pontos; e São Luiz, quatro — se considerada a classificação geral.

— Quando tivermos as atas da reunião, vamos encaminhar essa aprovação para as entidades, e mantemos constante conversa com o governo do Estado e com as prefeituras — comentou o presidente da FGF, Luciano Hocsman.

Fonte: GaúchaZH