Farroupilha pretende realizar testagem em massa e internar pacientes não graves com Covid-19

O prefeito de Farroupilha Pedro Pedrozo, em entrevista nesta terça-feira (14), ao programa Jornal da Manhã, da Rádio Jovem Pan

O prefeito de Farroupilha Pedro Pedrozo, em entrevista nesta terça-feira (14), ao programa Jornal da Manhã, da Rádio Jovem Pan Serra, comentou sobre a condição da cidade, na bandeira vermelha, do programa de Distanciamento Controlado do Governo do Rio Grande do Sul. Pedrozo disse ser um momento complicado para a cidade, porém, ele vê que é necessário olhar para o todo, apesar de, na visão do prefeito, a população de Farroupilha se comportar bem nas restrições impostas para o combate da pandemia da Covid-19.

Ele comentou sobre os óbitos ocorridos na cidade, principalmente na última semana, quando dois farroupilhenses morrem pela Covid-19 e outras pessoas, de outras cidades, vieram a óbito internados no Hospital São Carlos. Para ele, a doença tem se mostrado cada vez mais letal.

Ele comemorou o poder de reação de Farroupilha quanto aos leitos de UTI, saindo dos 10, em março, para os 20 atuais, além dos sete respiradores que ainda estão disponíveis.

Sobre o uso da macrorregião da Serra para a tabela do Governo do Estado, Pedrozo comentou que houve uma tentativa de separação para as microrregiões.

“Farroupilha atende, na sua microrregião, 12 município. Pleiteamos junto ao governo do Estado essa separação por, nestes 12 municípios, não termos grandes problemas em relação a doença. Dessa luta conseguimos que o governador não nos separasse, mas que cada cidade que não tivesse internações ou óbitos, pudessem trabalhar com a bandeira laranja. Conseguimos avanços para as cidades”, disse.

Porém, ele disse que não haverá um novo pedido ao governador para haja as microrregiões. Para ele, o pedido deve ser outro. O prefeito explicou que Farroupilha pretende internar pacientes que estejam com a Covid-19 e que não apresentem sintomas graves, mas que tenham risco de complicação por outras comorbidades. O que a administração quer é que essas internações não entrem na tabela estadual de análise do Comitê de Crise.

“Por exemplo, o Pedro Pedrozo, pegou a Covid, mas o Pedro Pedrozo tem problemas cardíacos. Ele não está mal, ele esta bem, em casa. Mas nós queremos internar ele porque ele tem um problema de coração e pode vir a óbito. Nós queremos poder internar as pessoas que estão com Covid, mesmo que não estejam grave. Só que isso não pode influenciar na nossa tabela. Estamos pedindo ao governador isso”, relatou.

Ele também disse que a cidade quer fazer testes em massa, mas que isso também não conste na tabela estadual, podendo levar a cidade para a bandeira vermelha.

Pedrozo também quer colocar medicamentos, mesmo que controversos, à disposição da população para que caso o médico e o paciente entrem em consenso o medicamento possa ser usado e fornecido pelo município.

Fonte: Portal Leouve