Morre religiosa natural de Nova Prata e ícone no ensino em Porto Alegre

Com uma vida dedicada à religião e à educação, a irmã Genoveva Guidolin morreu às 17h45min da última quarta-feira (15),

Com uma vida dedicada à religião e à educação, a irmã Genoveva Guidolin morreu às 17h45min da última quarta-feira (15), aos 94 anos, em Porto Alegre. Genô, como era conhecida, estava internada havia mais de 15 dias. Ela sofreu um acidente vascular cerebral (AVC).

A irmã trabalhou por 51 anos no Colégio Marista Rosário, onde era querida pelos alunos e conhecida como a “tia do SOE”, o serviço de orientação educacional.

 — Queria ser orientadora, queria mostrar o caminho para os outros — contou a GaúchaZH em março de 2019.

A morte da irmã foi comunicada pelo colégio, que, em nota, “reconhece a dedicação e valores como espiritualidade, simplicidade e espírito de família presentes na atuação da querida Irmã Genô”. 

Natural de Nova Prata, na serra gaúcha, Genô iniciou no internato na Congregação Irmãs de São José de Chambéry em Garibaldi, aos 15 anos. Concluiu o então Ginásio e seguiu para Pelotas, onde se formou em História e Geografia. 

Ela se mudou para Porto Alegre, fez pós-graduação e mais uma faculdade, desta vez em Pedagogia na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Trabalhou  no Marista Rosário e no Colégio Sévigné.

Depois de dar aulas de Geografia, História e Moral e Cívica (de 1969 a 1980), Genô foi orientadora educacional de 1974 a 2006 e, nos últimos anos, atuava como agente de Pastoral Escolar do Colégio Marista Rosário. Foi um caminho natural passar para a orientação educacional, ou tornar-se a tia do Serviço de Orientação Educacional (SOE), como muitos alunos chamavam. 

Em 2013, recebeu o Prêmio Educação RS, concedido pelo Sindicato dos Professores do Ensino (Sinpro-RS). Além disso, Genô tinha o título de Benfeitora Marista por préstimos prestados à instituição e à Rede Marista como um todo.

Em março de 2019, foi homenageada pela prefeitura da Capital com a Medalha Cidade de Porto Alegre. E, em dezembro, recebeu uma homenagem especial como educadora Jubilada do Marista Rosário, pelos seus 50 anos de atuação no Colégio.

Fonte: Gaúcha ZH