Prefeitos repercutem mudança de bandeira da Serra

Os prefeitos da Serra comemoraram o retorno da região à bandeira laranja. O anúncio foi feito pelo governador Eduardo Leite

Os prefeitos da Serra comemoraram o retorno da região à bandeira laranja. O anúncio foi feito pelo governador Eduardo Leite na tarde deste sábado (20). A mudança ocorre depois de uma semana conturbada. Contrariados com a migração da região para bandeira vermelha na última rodada do modelo de distanciamento controlado, os gestores municipais se revoltaram, tentaram reverter a decisão, mas não conseguiram, nem na Justiça. A alteração permitirá reabertura do comércio com 50% da capacidade a partir da próxima terça-feira. 

O presidente da Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), prefeito de Cotiporã, José Carlos Breda, disse que recebeu “com muita alegria e contentamento” a notícia:

– Foi uma conquista de toda a Serra, que compõe 49 municípios, juntamente com os Campos de Cima da Serra, Hortênsias e Vale do Caí, materializada através dos esforços envolvendo entidades empresariais, a Universidade de Caxias do Sul, os Coredes, a 5ª Coordenadoria (de Saúde), os prefeitos que se dedicaram com um único objetivo: combater o coronavírus, colocar condições de atendimento à saúde – ponderou Breda, referindo o  aumento de 31 leitos de UTI na região que passou de 193 para 224.

O dirigente falou ainda que essa foi uma “demonstração de como um trabalho de união, buscando o mesmo objetivo, alcança resultados.”

O prefeito de Caxias do Sul, Flávio Cassina, acompanhou a apresnetação feita pelo governador Eduardo Leite, nesta tarde, e destacou, por meio de nota, a união de esforços dos municípios da Amesne: “Os indicadores foram favoráveis, mas precisamos redobrar os cuidados, precisamos que a população continue ajudando, usando máscara e saindo de casa apenas para o essencial, diminuindo assim o contágio e número de internados, mesmo com o número de leitos maior. Estou satisfeito com o resultado de hoje e seguimos fazendo um trabalho forte com as entidades para não voltar à bandeira vermelha”.

Guilherme Pasin, prefeito de Bento Gonçalves, seguiu na mesma linha. Disse que recebeu a notícia “com sentimento de alívio, mas também de muita responsabilidade”:

– Agora, o trabalho é para fazer com que não mais voltemos a essa condição (bandeira vermelha). Já estamos aqui, a partir de uma mobilização de municípios e entidades, junto com a Universidade de Caxias do Sul, criando um observatório de saúde da nossa região para fazer esse monitoramento diário e não sermos pegos de surpresa por parte do governo do Estado. Mas é assim, agora, com muita responsabilidade vamos dia a dia controlar as nossas situações, medir os indicadores de nossos municípios e fazer com que a nossa população não seja, mais uma vez, surpreendida com fechamento dos nossos setores.”

O prefeito de Gramado, João Alfredo de Castilhos Bertolucci, o Fedoca, também se pronunciou no sentido de seguir o trabalho de melhoria dos indicadores e também a mobilização da sociedade.

– A nova situação corresponde às expectativas da região, mas nem por isso cessará nossa luta para a obtenção de novos resultados – afirmou.

Gramado foi uma das cidades que abriu leitos de UTI nesta semana (oito), indicador que ajudou na reclassificção da região. Os outros municípios foram Bento (13),  Caxias (5) e Farroupilha (5).

O Sindicato dos Lojistas de Caxias (Sindilojas) disse que vai permanecer reivindicando segurança para manter as portas do comércio abertas, ainda que com redução de pessoal ou horário diferenciado. A presidente da entidade, Idalice Manchini, manifestou, em nota, que mantém a preocupação com a inconstância imposta ao comércio pelos índices de saúde:

– Na terça, voltamos a abrir os nossos estabelecimentos e estamos motivados a atender os nossos clientes após esses dias de portas fechadas. Porém, precisamos continuar reivindicando alternativas, caso a bandeira vermelha volte, como atendimento com 25% dos funcionários ou com horário reduzido, bem como as opções de tele-entrega – cogitou.

Fonte: Pioneiro