Amesne defende, com autonomia aos municípios, volta às aulas em reunião com o Estado nesta terça-feira

Na contramão da maioria dos prefeitos de cidades do Estado, a Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne),

Na contramão da maioria dos prefeitos de cidades do Estado, a Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), que representa parte da Serra, é a favor de que o Estado decrete a volta às aulas. Esse posicionamento é o que será defendido em reunião a partir das 9h desta terça-feira (25) com o Piratini. O encontro reúne representantes do governo, da Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e das próprias Associações de Municípios.  

Segundo o presidente da Amesne, José Carlos Breda, o entendimento é que o Estado deve definir a possibilidade de retorno das atividades. A sugestão é que os municípios tenham autonomia para definir o calendário, desde que seguidas as recomendações para garantir a segurança sanitária. A proposta é semelhante à que foi apresentada pelo Estado e rejeitada pela maior parte dos prefeitos em enquete feita pela Famurs. 

O governo apresentou também um cronograma em que o retorno começaria pelas escolas de Educação Infantil, a partir da próxima segunda-feira (31). Outro ponto é a limitação nas salas de aula à metade da turma. No entanto, o presidente da Amesne salienta que cada cidade tem uma realidade diferente, que deve ser considerada separadamente.  

Municípios pequenos, por exemplo, sequer têm escolas de Educação Infantil. Em Cotiporã, onde Breda está à frente do Executivo municipal, um estudo mostrou que, no máximo, cinco alunos poderiam ficar nas salas de aula da rede municipal por vez, para garantir o distanciamento entre eles. Portanto, em uma turma de 25 alunos, cada um poderia frequentar as aulas uma vez por semana. Na visão do prefeito, isso indica que, de qualquer forma, o retorno será gradual. 

Na segunda-feira (24), o governador Eduardo Leite voltou a defender a volta às aulas a partir da semana que vem. Argumentou que os pais que se sentirem confortáveis poderão mandar os estudantes, já que o retorno será condicionado à vontade dos responsáveis.   

Cronograma de retomada proposto pelo governo do Estado 

31/8 – Educação Infantil (público e privado) 

14/9 – Ensino Superior (público e privado) 

21/9 – Ensinos Médio e Técnico (público e privado) 

28/9 – Ensino Fundamental – anos finais (público e privado) 

8/10 – Ensino Fundamental – anos iniciais (público e privado) 

Fonte: Flavia Noal/Jornal Pioneiro