Saiba o que leva Fagundes Varela a não ter nenhum caso confirmado de Covid-19

Reportagem publicada anteriormente em nossa versão impressa.
Ligue 3441.4767 e faça uma assinatura e receba antes nossas reportagens especiais

Com cerca de 2.731 habitantes, de acordo com estimativa do IBGE, Fagundes Varela, segundo a Prefeita Cláudia Moreschi Tomé, tem 50% da sua população vivendo na zona rural. “O isolamento, para estas pessoas, já acontece de forma natural, sendo que eles buscam acessar o centro da cidade somente por motivos de grande necessidade”, explica. Além deste fator, outro que contribui é o pequeno número de estabelecimentos comerciais, com espaço físico amplo, que mesmo em dias normais, não geram grandes aglomerações. 

O bar-lancheria La Bodega, localizado no centro da cidade, no início do isolamento social, suspendeu o atendimento ao público, possibilitando apenas a retirada dos pedidos no local. A proprietária, Aline Galante Zandoná, afirma que o movimento diminuiu bastante, principalmente porque a venda de bebidas caiu significativamente. “Agora, voltamos a atender o público no local, mas respeitando todas as regras da diminuição da capacidade em um terço, distanciamento das mesas e questões de higiene”. Mesmo após a liberação do atendimento, poucas pessoas ficam no restaurante, elas preferem levar os alimentos para casa. 

Em relação aos encontros e eventos nas comunidades, o mais difícil, tem sido manter os bares e salões fechados, justamente por serem locais de encontro e aglomeração muito tradicionais na região. “Em determinados casos, somos surpreendidos pela necessidade de nos reinventar, e voltamos a utilizar até o tradicional alto falante da Igreja para acompanhar as missas”, destaca. 

Para a prefeita, o ano será marcado negativamente para a economia do município, especialmente pela baixa movimentação do comércio, redução da produtividade e vendas nas indústrias, bem como a paralisação dos prestadores de serviços por determinado período. “Ainda não tivemos demissões em grande escala, mas diminuição de carga horária e salários sendo pagos proporcionalmente. Aliado a isto, ainda temos as perdas decorrentes da produção agrícola, ocasionadas pela estiagem”, destaca. 

Destaques positivos
No enfrentamento à pandemia, duas áreas se destacam na cidade, uma delas, é a da saúde, que programou suas ações adquirindo Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), reorganizando serviços, realizando capacitações e fazendo contato telefônico com membros do grupo de risco, sendo que em duas semanas, foram realizadas mais de 500 ligações. Além disso, estão sendo distribuídas máscaras à população. 

E a outra área que se destaca, inclusive no contexto estadual, é a educação, com campanhas como a “Espalhe Amor por aí” da Escola Municipal Caminhos do Aprender. “Estamos muitos orgulhosos com essas iniciativas da escola Municipal, que além de um ato de amor e solidariedade, nos unem em uma rede positiva de responsabilidade com o outro e de compartilhamento de atitudes do bem”, destaca. 

Fazendo uma avaliação, Cláudia conclui que a maioria da população se conscientizou, obedecendo o isolamento, principalmente com relação aos serviços de saúde, adiando consultas, exames e procedimentos eletivos. Entretanto, ela destaca que alguns grupos não se conscientizaram quanto ao distanciamento social, pois continuaram se reunindo em praça pública, por exemplo.