Ministério da Saúde confirma a primeira morte no Brasil por Varíola dos macacos

Primira morte de varíola dos macacos no Brasil

O Ministério da Saúde confirmou nesta sexta-feira, 29, a primeira morte por varíola dos macacos no Brasil. O óbito aconteceu em um paciente de Belo Horizonte, Minas Gerais, que estava internado para monitoramento de outras condições clínicas graves, informou a Secretaria Estadual de Saúde. Trata-se de um homem de 41 anos que sofria com “imunidade baixa e comorbidades, incluindo câncer (linfoma), que o levaram ao agravamento do quadro”. A causa da morte foi choque séptico, agravada pela varíola dos macacos.

Ao todo, outros 44 casos foram confirmados no Estado, além de 130 casos em investigação e 02 casos classificados como provável. A confirmação da primeira morte acontece um dia depois do Estado de São Paulo confirmar três casos da doença entre crianças. Segundo especialistas, a varíola dos macacos é transmitida por vias respiratórias e tem como principais sintomas a febre, dor de cabeça, dores musculares, dor nas costas, gânglios inchados, calafrios e exaustão.

Atualmente, o Brasil soma cerca de 1 mil infecções pela doença, segundo dados do Ministério da Saúde da última quarta-feira, 27. Os casos se dividem da seguinte forma: São Paulo tem o maior número de registros, com 744 pessoas infectados, seguido do Rio de Janeiro, com 177 casos de monkeypox, como também é chamado. Outros Estados brasileiros contabilizam menos de 50 infecções: Minas Gerais (44), Paraná (19), Distrito Federal (15), Goiás (13), Bahia (5), Ceará (4), Santa Catarina (4), Rio Grande do Sul (4), Pernambuco (3), Rio Grande do Norte (2), Espírito Santo (2), Tocantins (1), Mato Grosso (1) e Acre (1).

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a varíola dos macacos como uma “emergência de saúde global” no último sábado, 23. Ao longo da semana, a entidade afirmou que a situação da doença no Brasil é “preocupante”, recomendando que as autoridades tomem conhecimento sobre o decreto de emergência de saúde e sigam as recomendações temporárias. Detectada pela primeira vez em humanos em 1970, os casos de monkeypox são considerados menos perigosos e contagiosos do que a varíola erradicada em 1980. Desde o início do ano, no entanto, é acompanhado um aumento incomum dos casos fora dos países da África Central e Ocidental onde o vírus é endêmico, chegam a mais de 70 países com infecções confirmadas.

Fonte: Jovem Pan