Mulheres Pratenses recebem implantes contraceptivos

O município de Nova Prata, através da Secretaria de Saúde, aderiu a um programa de planejamento familiar, e proporcionou a

O município de Nova Prata, através da Secretaria de Saúde, aderiu a um programa de planejamento familiar, e proporcionou a colocação de implantes subcutâneos, usados como método contraceptivo, em 20 mulheres da cidade em situação de vulnerabilidade social.
O procedimento foi realizado pelo deputado estadual e médico ginecologista, Dr. Thiago Duarte, na manhã desta última quarta-feira, 29, na Casa da Cultura, onde foi recebido pelo prefeito Alcione Grazziotin e secretária da Saúde, Dieice Fagundes de Oliveira. Antes de realizar os implantes, o Dr. Thiago explicou para as pacientes como funciona o método e esclareceu todas as dúvidas.
O implante é um contraceptivo de longa duração colocado embaixo da pele da mulher. Após 10 dias ele estará 100% em funcionamento, ajudando a paciente a decidir quando e quantos filhos quer ter durante três anos, tempo da sua durabilidade, evitando assim, o perigo de esquecer de tomar o tradicional anticoncepcional diário ou a injeção mensal.
– Como todos os remédios, este implante também tem efeitos colaterais, mas de menor intensidade, porque a dose de remédio na corrente sanguínea é menor. Após ser aplicado em baixo da pele o hormônio é liberado de forma lenta e natural – destaca o deputado Dr. Thiago Duarte e autor do PL 143/2019 que dispõe sobre o planejamento familiar no Rio Grande do Sul. – Esse contraceptivo de longa duração é uma progesterona com eficácia maior do que os demais métodos, enfatizou o parlamentar.
Este medicamento foi doado ao município pela ONG Brasil Sem Grades e seu implante viabilizado através da Secretaria Municipal de Saúde. As mulheres interessadas, podem buscar mais informações junto a sua unidade de saúde.
EFEITOS COLATERAIS
Como na injeção a paciente poderá sangrar um pouquinho todos os dias por seis meses. É normal! De cada 10, uma vai acontecer isso. Há padrões de menstruação: de cada 10, seis ficam sem menstruar. Três delas menstruam periodicamente e uma acaba tendo sangramento por seis meses o que não diminui a eficácia do remédio.
ALTERAÇÕES DO PESO
Não engorda. 3 % das mulheres terão aumento do apetite e 3% terão diminuição.
CONTRAINDICAÇÃO
As mulheres que não podem usar o implante subcutâneo são aquelas que fazem tratamento para tuberculose, aquelas que tomam medicação antiepiléptica e mulheres que tiveram AVC, infarto ou trombose.