Perto da data prevista para ter os adultos vacinados com uma dose, RS aguarda definição sobre imunização dos adolescentes

Estado espera aval do Ministério da Saúde e recebimento de vacinas suficientes para atender o público em geral na faixa dos 12 aos 17 anos

O Rio Grande do Sul deve seguir aplicando a segunda dose de vacinas contra a covid-19 depois do dia 25 deste mês, quando pretende concluir a imunização da população gaúcha acima dos 18 anos com pelo menos a primeira dose. Mas o Estado ainda aguarda orientações do Ministério da Saúde para definir quando iniciará a vacinação do público em geral na faixa entre 12 e 17 anos contra o coronavírus.

Por meio da assessoria de imprensa, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) informou à reportagem nesta terça-feira (17) que adolescentes em geral ainda não estão autorizados pelo Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra Covid-19 (PNO) e destacou que aguarda a “evolução desta pauta tanto na autorização como no recebimento de doses para esta finalidade”.

Sobre a possibilidade de aplicação de uma terceira dose em pessoas que já completaram a imunização, a SES acrescentou que “segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), não há justificativa plausível em termos internacionais para priorizar terceira dose enquanto a maior parte da população mundial não estiver vacinada com duas doses. Ações como terceira dose e diminuição do tempo de aplicação da segunda, em detrimento de ampliação da primeira injeção, são movimentos que favorecem de forma natural novas variantes e a perpetuação da pandemia da covid-19. Nesse sentido, o Estado segue as orientações do Ministério da Saúde, que tem competência para essa decisão e espaço, inclusive, para dialogar com outros países”.

Para que seja possível atingir a imunidade coletiva no Estado, a chefe da Divisão de Vigilância em Saúde, Tani Ranieri, alerta que é necessário vacinar, no mínimo, 70% da população com as duas injeções ou a dose única, mas de forma homogênea entre municípios e idades. O ideal, completa Tani, é que o Estado atinja 90% de cobertura vacinal. Até esta terça-feira (17), o painel de monitoramento da SES apontava que 30,5% da população havia recebido as duas aplicações ou a dose única.

Em nota, o Ministério da Saúde informou que “a vacinação contra a covid-19 de jovens com idades entre 12 e 17 anos está prevista para iniciar após a finalização da imunização com a primeira dose da população acima dos 18 anos, conforme definido no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19 (PNO)”.

No entanto, não há data específica para o início do atendimento a essa faixa etária porque cada município e o Estado têm calendários próprios. O ministério ressaltou ainda que “os Estados, municípios e o Distrito Federal têm autonomia para definir a campanha de vacinação, de acordo com as demandas locais”. A recomendação da pasta, contudo, é de que “os entes federados sigam à risca o que foi definido no PNO e realizem a busca ativa de indivíduos que ainda não completaram o esquema vacinal”.

Sobre a possibilidade de uma terceira dose da vacina, o Ministério da Saúde destacou, na mesma nota, que acompanha os estudos sobre a efetividade das vacinas contra a covid-19. O tema, de acordo com a pasta, é acompanhado pela Câmara Técnica Assessora em Imunização e Doenças Transmissíveis, que analisa as propostas dos laboratórios.

Fonte: GZH