15 cidades da região deverão ter reforço no policiamento

Distribuição de novos soldados fará com que 15 cidades da Serra passem a ter cinco policiais militares. Falta de um efetivo mínimo era problema em 30% dos municípios gaúchos.

A formação de 2 mil novos soldados garantirá que 15 cidades da Serra passem a ter cinco policiais militares a partir de agosto. A falta de um efetivo mínimo é um problema que afeta 30% dos municípios gaúchos. Garantir estes pelotões com pelo menos cinco brigadianos foi o primeiro critério para a distribuição da nova turma de soldados, segundo a Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP).

Para classificar os municípios por região, é considerada a divisão oficial dos Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes). O Corede Serra contempla 33 municípios — ou seja, quase metade das cidades da região serão beneficiadas com a medida.

Conforme a SSP, a estratégia de distribuição coloca em prática as premissas de inteligência e investimento qualificado do programa RS Seguro. A intenção foi priorizar os municípios menos guarnecidos, além das unidades e serviços com maior impacto regionalizado, para otimizar o aproveitamento do reforço.

Formaturas em 22 cidades

As solenidades de formatura dos alunos-soldados estão previstas para ocorrer até 10 de agosto. A primeira aconteceu na manhã desta sexta-feira (26) em Porto Alegre e contou com a presença do governador Eduardo Leite (PSDB) e do vice-governador e secretário da Segurança Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior. Na Serra, serão duas solenidades, dias 6 e 7 de agosto, respectivamente, em Caxias do Sul e Bento Gonçalves. Também haverá uma formatura em Igrejinha, município que integra o 1º Batalhão de Policiamento em Áreas Turísticas (1º BPAT), que atende a Região das Hortênsias, no dia 8.

Nova turma possibilita Batalhão de Choque na Serra

A distribuição dos 2 mil novos soldados também permitirá a criação de dois novos Batalhões de Choque com 110 PMs cada. Um deles contemplará a Serra e terá sede em Caxias do Sul. O decreto que criou os batalhões foi assinado na semana passada, durante evento de 120 dias do RS Seguro. 

— É uma unidade especializada que não está atrelado a um território. Sem um compromisso rotineiro, (é uma tropa que) tem a capacidade de operar mais rápido, com mais mobilidade e numa extensão maior. Era uma necessidade que tínhamos na região — apontou o subcomandante da BM, coronel Carlos Alberto Andrade, na época.

Entre as responsabilidades desta tropa especializada está a resposta a ataques a bancos e garantir da ordem em uma manifestação com milhares de pessoas. Apesar de ter prioridade no atendimento na Serra, o Batalhão de Choque é preparado para atuar em qualquer necessidade e recanto do RS.

Fonte: Jornal Pioneiro