Delegado fala sobre o desaparecimento de empresário

“Até o momento não há nenhuma notícia concreta”

Na manhã desta terça-feira, o Delegado Marcelo dos Santos Ferrugem, em entrevista à Tua Rádio Veranense, passou informações sobre o desaparecimento do empresário Manoel Ruas Amantino. Ele, que está desaparecido desde a manhã da última segunda-feira, dia 02, quando foi visto por volta das 9h na sede do Grupo ER Amantino, localizada na Rua Fiorindo Dalla Coletta, em Veranópolis. Manoel, conhecido como Neco, saiu com seu veículo placas GWP7757, uma Ford Ranger branca. Já passaram 24 horas do desaparecimento e não houve nenhum contato entre ele e familiares.

Segundo Ferrugem, o fato chegou ao conhecimento da Polícia Civil, por volta das 16h de ontem. A família percebeu que ele havia desaparecido, ou quebrado a rotina, após o meio dia, quando ele não retornou para o almoço. A família achava que ele estava em alguma das empresas do grupo, e então, iniciaram, algumas buscas, nas propriedades rurais e locais em que ele costumava frequentar. E foi quando começaram a desconfiar que realmente alguma coisa estaria errada.

A Polícia civil, colheu informações iniciais com os familiares, e iniciou busca por imagens do veículo, para traçar um provável trajeto. “Manoel teria saído da da Boito no início da manhã em direção à Microvera, no bairro Renovação, acabou tomando a rodovia e ingressando de novo na cidade pela Avenida Júlio de Castilhos. A última imagem aponta que ele pegou a BR 470 em direção à Nova Prata e no trevo de Fagundes Varela ele ingressou à direita, em à comunidade de São José da 1ª, onde a família possui área de terras”, informa, Ferrugem.

Outras informações apontavam como possível destino uma propriedade rural em André da Rocha. Por isso, foi montada uma equipe de buscas mista, com familiares e amigos que conheciam os locais e funcionários da própria empresa, até às 2h da manhã de hoje e retomadas no início desta manhã. Até o momento não se tem nenhuma notícia concreta e as informações constam que o celular está desligado.

Foi verificada pelos familiares e amigos uma mudança na rotina de Manoel nos últimos dias. Além disso, outra informação relevante é que ele vinha apresentando um quadro clínico de AVCs transitórios, que poderiam fazer com que sofresse alguns apagões, perdendo a orientação.

“Trabalhamos primeiramente com a localização; outra possibilidade em relação a um mal súbito e consequentemente um acidente de trânsito em uma estrada vicinal de pouco movimento. As buscas estão sendo feitas neste sentido”, reforça. Como também, estão sendo analisadas câmeras de monitoramento de empresas e aeronaves sobrevoam a região.

Um possível sequestro, segundo o delegado, é descartado: “não se observou nenhuma ação desta natureza que indicasse ação de algum grupo criminoso. Se tivesse acontecido, provavelmente teria sido feito algum contato com a família”, explica.

Sendo assim, inicialmente existe a possibilidade deum mal súbito e talvez um acidente de trânsito. O objetivo da polícia é esgotar essas possibilidades, para talvez abrir alguma outra linhas de investigação.

Pessoas que possam ter visto o veículo ou conhecem o próprio Manoel, podem entrar em contato com os órgãos de segurança e com a família, e auxiliar nessa situação. Algumas informações passadas, foram checadas e não se confirmaram. Mas o Delegado afirma que a Polícia Civil aceita todas as possíveis informações que serão verificadas.