Vítima de tentativa de feminicídio se recupera na UTI do HPS em Porto Alegre

Juliana Silva tem evolução no quadro de saúde

Segue internada no Hospital de Pronto Socorro (HPS) de Porto Alegre, a mulher vítima de tentativa de feminicídio, registrada na madrugada da última sexta-feira, dia 21, na Rua Santa Catarina, no bairro Medianeira, em Veranópolis. Juliana Consoladora Varela da Silva,35 anos, sofreu golpes de faca na altura do pescoço, sendo atendida no Hospital Comunitário e transferida ainda na madrugada para a Capital.

Segundo familiares, “Juliana está consciente, já perguntou pelos filhos. Sabe o que aconteceu e está muito firme e forte!”.

Ela deverá permanecer na UTI, por mais alguns dias. Para auxiliar na cura, a jovem passou por traqueostomia. A comunicação com Juliana é feita por leitura labial.

Os filhos estão sob os cuidados de familiares.

Médicos do HPS de Porto Alegre, frisaram a competência e profissionalismo no atendimento desepenhado em Veranópolis. O serviço do Corpo de Bombeiros, do setor de enfermagem e dos médicos, foi fundamental para a sobrevivência de Juliana: “a excelência deste atendimento foi o que a segurou bem até chegar no HPS”, destacaram.

Relembre o caso:

Um homem tentou matar a esposa a facadas e depois tirou a própria vida por volta das 2h da última sexta-feira (21), no bairro Medianeira, em Veranópolis. Segundo informações da polícia, o homem identificado como Gilberto Grando, 45 anos desferiu diversos golpes de faca contra a esposa, que foi socorrida ao hospital São Pelegrino Lazziozi. Posteriormente, a mulher, identificada como Juliana Consoladora Varela da Silva,35,  foi socorrida em estado grave para o HPS de Porto Alegre. 

O corpo de Grando foi localizado na manhã da sexta-feira, em uma lavagem de veículos localizada na Rua Alagoas. Segundo o delegado Marcelo Ferrugem, após ter desferido os golpes de faca, ele se dirigiu à casa da tia da vítima para entregar o filho de três meses. 

— Ele deixou o filho com ela dizendo que tinha matado a mulher e que iria se matar — destaca Ferrugem. 

Ainda conforme o delegado,  não seria a primeira vez que Grando teria tentando matar uma companheira. 

— Ele tem um histórico de violência. Foi a segunda tentativa dele de tirar a vida de uma companheira, outra ocorrência similar foi registrada no final de 2017 com uma outra mulher. Naquela época, ele se apresentou à polícia afirmando que tinha matado a própria companheira, mediante uso de faca, mas isso não se confirmou, ela resistiu — explica o delegado.  

O corpo de Grando foi sepultado no cemitério da comunidade de São Miguel, interior de Santo Antônio do Palma.