Morte de caminhoneiro coincide com outra fatalidade, há cinco anos, no mesmo trecho da BR 470

A morte do caminhoneiro na madrugada desta sexta-feira, dia 21, no km 174 da BR 470, coincide com a mesma

A morte do caminhoneiro na madrugada desta sexta-feira, dia 21, no km 174 da BR 470, coincide com a mesma data de outra morte, há cinco anos, em local bem próximo. No dia 21 de janeiro de 2017, Paulo Jardel Conrado de Moura, 20 anos, morreu atropelado por volta da 0h20min, no km 172 da rodovia. Este trecho, entre Veranópolis e Vila Flores, apesar de não possuir tantas curvas como na Serra das Antas, acumula diversos registros de acidentes fatais.

 

Sobre os acidentes:

2022

No final da noite de quinta-feira, dia 20, o Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul, com sede em Veranópolis, atendeu um acidente veicular pesado, no Km 174 da BR 470, em Veranópolis. Houve uma saída de pista de um caminhão Scania, que transportava óleo vegetal, em seguida capotou em um barranco por cerca de 15 metros. A vítima, um homem de 61 anos, natural de Tubarão/SC, se encontrava preso nas ferragens, e logo após os procedimentos para que fosse retirado do veículo, foi conduzido com politraumatismo, porém lúcido, orientado e comunicativo ao Hospital Comunitário São Peregrino Lazziozi. Porém, não resistiu aos ferimentos e faleceu ainda no hospital, por volta das 2h desta sexta-feira, dia 21.

 

2017

Paulo Jardel Conrado de Moura, 20 anos, morreu atropelado por volta da 0h20min do sábado, dia 21, no km 172 da BR 470. O jovem foi atropelado por um caminhão VW enquanto atravessava a rodovia. O motorista do caminhão não parou para prestar socorro e fugiu do local do acidente. Ao chegar ao local, a equipe da PRF verificou que a vítima não possuía sinais vitais e aguardou a chegada do serviço de emergência para constatação do óbito.

Com o auxilio da Brigada Militar de Veranópolis, o caminhão foi localizado em um posto de combustíveis a cerca de 2km do local do acidente. O condutor foi abordado e estava com visíveis sinais de embriaguez. Foi realizado o teste de etilômetro que resultou em 0.60 miligramas de álcool por litro de ar alveolar expelido. Foi dada a voz de prisão ao condutor do caminhão, um homem de 42 anos natural de Casca. Ele foi encaminhado à Policia Civil de Bento Gonçalves e responderá pelos crimes de homicídio, fuga do local do acidente e dirigir sob influência de álcool. O caminhão foi recolhido ao pátio do Detran para posterior perícia.

Moura morava com a mãe em Veranópolis. O corpo dele foi levado na manhã do domingo, dia 22, para Romelândia, em Santa Catarina, cidade natal, onde foi sepultado.