VEC teme inviabilizar 2021

Mesmo vivendo em nossas cidades por toda a vida, parece que estamos pisando num terreno desconhecido.Estamos com medo, sem saber

Mesmo vivendo em nossas cidades por toda a vida, parece que estamos pisando num terreno desconhecido.
Estamos com medo, sem saber exatamente o que está acontecendo. Hoje temos uma opinião, amanhã já mudamos, e não sabemos o que pensar! A grande maioria tenta se proteger, segue o que determinam as autoridades sanitárias e políticas, mas estamos perdidos em meio a tantas informações, algumas que nos deixam mais confusos ainda. Esta é a nossa realidade! 
Quando isso vai passar? Sinceramente, não sei, ou melhor, parece que ninguém sabe. Acho melhor continuarmos, seguirmos em frente! Se Deus quiser, tudo vai melhorar. No futebol, nada de Campeonato. Na reunião da última segunda-feira, dia 15, nada foi decidido, ou seja, tudo continua da mesma forma, sem futebol. A ideia da FGF de reunir a Divisão de Acesso e a Terceirona não foi aceita e, se voltar, vai ser a Divisão de Acesso a partir da quarta rodada. O que está pesando agora é o financeiro dos clubes que poderão desistir de jogar o campeonato deste ano, evitando assim gastar o pouco dinheiro que tem, inviabilizando 2021. A presidência do VEC, inclusive, deve ir pessoalmente até o presidente da FGF para conversar e tentar encontrar um caminho para este momento tão ruim por que passa o futebol. Complicado, difícil e sem solução por enquanto! Então, meu amigo, segue a projeção de recomeço dos jogos no mês de agosto/setembro, com acesso normal do campeão e vice para o Gauchão. O rebaixamento também fica mantido para a Terceirona. A novidade é que os presidentes dos clubes talvez optem por parar tudo e só jogar no ano que vem. Bom, neste momento difícil que passamos, os fenômenos de histeria coletiva afetam em cheio seitas políticas e religiosas. Enquanto o ser humano não conseguir arguir posições utilizando-se da razão e da relativização, deixando de cravar verdades absolutas, teológicas ou políticas, estaremos mais distantes do bem-estar econômico, de bons coeficientes educacionais, da liberdade de pensar e consequentemente de empreender. Vamos seguir de cabeça erguida, vai passar. Um abraço e até a semana que vem.