Reforço na fiscalização na BR 470

Lombadas eletrônicas e pardais serão instalados

Seis pontos da BR 470 e da BR 116, na Serra, que atualmente não possuem fiscalização fixa de velocidade passarão a contar com lombadas eletrônicas e pardal nos próximos meses. Os trechos ficam em Nova Petrópolis, Bento Gonçalves e Garibaldi.
A instalação dos redutores de velocidade integra um novo contrato firmado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura dos Transportes (DNIT) com a empresa Fotosensores Tecnologia Eletrônica. A parceria ocorreu para substituir o contrato com a empresa Kopp, fornecedora dos controladores atuais, que termina em 14 de janeiro. Dessa forma, os equipamentos também estão sendo trocados.
Na BR 470 terá substituição dos controladores nos atuais cinco pontos, entre os municípios de Barracão e Lagoa Vermelha, além do acréscimo de mais quatro, no trecho que liga Bento Gonçalves e Garibaldi. As novas lombadas eletrônicas serão distribuídas entre os kms 214 e 217, que ficam entre o Posto do Hélio e o acesso a Bento Gonçalves pela pipa-pórtico. Já em Garibaldi, os redutores serão instalados no km 225, nas proximidades do Posto do Avião.
Com o novo contrato, a previsão é que os pontos fiscalizados no trecho da Serra nas duas rodovias passe dos atuais 30 para 36. O trabalho de substituição dos equipamentos já começou na 116, em Caxias, e a previsão é que o trabalho esteja totalmente concluído até julho.

Nova balança

A fiscalização do peso de caminhões na BR 470, deve ser intensificada e facilitada com a instalação de uma balança junto à delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Bento Gonçalves. O equipamento, o único da PRF no Estado e o único em rodovias federais da Serra, entrou em operação há poucos dias, após aferição do Inmetro.
De acordo com o chefe da delegacia da PRF, Rômulo Gomes, nos primeiros dias de funcionamento já houve notificações, mas elas ocorreram em abordagens esporádicas. As operações destinadas especificamente à fiscalização de peso estão previstas para começar depois do período de férias, já que são mais complexas. “A fiscalização de peso é realizada de duas formas: pesando o veículo ou por meio da nota fiscal. Não necessariamente precisaria da balança, mas se fizermos exclusivamente pela nota fiscal as pessoas burlam”, revela.
Até a instalação da balança, a pesagem de caminhões ocorria em empresas com quem a PRF mantinha convênio. O procedimento, no entanto, somente podia ser realizado nos horários em que os equipamentos ficavam disponíveis. Com a balança própria, a verificação pode ocorrer 24 horas por dia e não apenas com veículos que passam pela sede da PRF. Caso os policiais desconfiem de excesso de carga, o caminhão pode ser levado para pesagem.
O fato de estar na 470, porém, não significa que apenas quem circula pela rodovia está sujeito à fiscalização. É possível estender a abrangência do equipamento por meio de um convênio, mas até agora nenhuma conversa foi iniciada. “Nada impede que se pese caminhões da RS 453, por exemplo, ou mesmo de vias municipais, mas ele precisa ser acompanhado do órgão de fiscalização responsável”, explica Gomes.