Reunião com secretariado avalia ações e projeta prioridades para sequência do governo do RS

Concluída a reestruturação administrativa, o governador Eduardo Leite liderou, nesta quarta-feira (5/5), no Galpão Crioulo do Palácio Piratini, a primeira

Concluída a reestruturação administrativa, o governador Eduardo Leite liderou, nesta quarta-feira (5/5), no Galpão Crioulo do Palácio Piratini, a primeira reunião do Conselho de Secretários (CSE), que faz parte do sistema de governança da atual gestão.

Seguindo todos os protocolos de distanciamento social, o encontro contou com a presença do vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, dos titulares das demais 21 secretarias e os três secretários extraordinários que integram o primeiro escalão do governo.
O objetivo, segundo Leite, foi alinhar diretrizes e prioridades para a segunda metade da gestão, focada no encerramento da pandemia e já pensando nos pós-pandemia, sem deixar de, com isso, seguir com as medidas voltadas a elevar a competitividade do Rio Grande do Sul, retomar o crescimento econômico e promover o desenvolvimento social.

“Entramos na segunda e última etapa desta jornada e, para que possamos olhar para trás com orgulho do que fizemos, tenho confiança em cada um de vocês e a convicção de que estamos virando o jogo no RS, mostrando um novo rumo e tornando o Estado conhecido não pelos seus problemas, mas pelas suas soluções”, destacou o governador.

Em sua apresentação inicial, o chefe do Executivo apresentou os principais desafios a serem enfrentados e destacou as conquistas já alcançadas pelo seu governo, entre as quais, o ajuste fiscal responsável, com a Reforma RS e as mudanças profundas já feitas na Previdência e nas carreiras dos servidores gaúchos de todos os Poderes; a solidez fiscal, com a racionalização das despesas; a redução de impostos e tarifas, incluindo o fim da Difal (imposto de fronteira) e a redução da alíquota de compras internas; a estabilização nos pagamentos, colocando em dia o salário dos servidores depois de 57 meses de atraso e as despesas da saúde; além de avanços na infraestrutura, saúde, segurança e educação.

Entre os principais desafios ao longo dos próximos 20 meses, o governador destacou o avanço nas concessões e privatizações, a adesão ao Regime de Recuperação Fiscal, o fortalecimento do turismo regional, a atração de investimentos, um amplo plano de obras rodoviárias estadual, a lei gaúcha de inovação, a captação de recursos via bancos de desenvolvimento, o ensino híbrido e a recuperação das aulas, aumento de vagas no sistema prisional, centros de atendimento socioeducativos, cultura emprego e renda, entre outros.

“É importante, em alguns momentos e com todos os protocolos sanitários, fazermos esse encontro olho no olho entre nossa equipe de secretários, especialmente considerando as recentes mudanças que fizemos. Foi um momento de recapitular os feitos da primeira metade do governo, que foram muitos, em termos de reformas estruturais e de semeadura de bons projetos e, agora, nessa segunda metade, com a perspectiva de receitas extraordinárias via projetos de privatizações, podermos ter alinhamento para que esses recursos possam significar investimentos em áreas específicas e estratégicas para ajudar na retomada do desenvolvimento econômico do Estado. A vacina contra a Covid-19 é a vacina do Butantan, da Fiocruz, e outras que estão disponíveis, e a vacina pós-pandemia é o emprego. Colocaremos todo o esforço do governo nos projetos que possam ajudar a retomar nossa economia mais rapidamente”, assegurou Leite.

Após a fala do governador, cada secretário teve a oportunidade de se manifestar e de citar realizações de sua pasta e destacar as suas prioridades para os próximos meses.

A reunião seguiu todos os protocolos, incluindo limitação de pessoas de acordo com a capacidade do espaço, distanciamento entre as mesas, higienização das mãos e do ambiente, entre outros.

Texto: Vanessa Kannenberg
Edição: Marcelo Flach/Secom