Secretaria Estadual da Saúde alerta para acidente com aranha marrom

O calor propicia a proliferação das aranhas-marrons, comuns no Rio Grande do Sul. Segundo dados emitidos pela Secretaria Estadual da

O calor propicia a proliferação das aranhas-marrons, comuns no Rio Grande do Sul. Segundo dados emitidos pela Secretaria Estadual da Saúde (SES), até o dia 10 de dezembro de 2019, 736 casos foram registrados no Estado, sendo a maioria deles (290) em Caxias do Sul. Por isso, nesta época, o cuidado com a prevenção de acidentes deve ser redobrado.
A aranha-marrom, é uma aranha pequena, de 3 a 4 cm, que habita locais escuros, quentes e secos. Pode ser facilmente encontrada em residências, principalmente em armários, atrás de quadros e em objetos que têm pouco manuseio na casa. Elas não são agressivas, picam apenas quando comprimidas contra o corpo. A picada não causa dor imediata, pode surgir de 12 a 24 horas depois do acidente, junto com ardência e escurecimento da pele. A ferida pode evoluir para uma necrose.
Em caso de suspeita de picada, procure imediatamente o Posto de Saúde. Caso consiga capturar o animal, leve-o em um recipiente. Isso facilita a identificação da espécie e a conduzir o tratamento, que é feito conforme o quadro do paciente e envolve desde limpeza no local, medicamentos como antialérgicos, corticoides e remédios para dor. Apenas nos casos mais graves recomenda-se o soro antiaracnídio.

Dicas de prevenção
– Manter a residência e os arredores sempre limpos;
– Afastar e limpar atrás dos móveis (camas, balcões, armários) e quadros;
– Sacudir as roupas antes de vestir;
– Evitar deixar roupas penduradas nas paredes;
– Manter as camas afastadas da parede;
– Sacudir lençóis e toalhas antes de usá-los.