Audiência pública apresenta a revisão do plano municipal de saneamento básico

Na manhã de quinta-feira, 09, na Câmara Municipal de Vereadores de Nova Prata, aconteceu a audiência pública para apresentação da

Na manhã de quinta-feira, 09, na Câmara Municipal de Vereadores de Nova Prata, aconteceu a audiência pública para apresentação da revisão do Plano Municipal de Saneamento Básico.
Quem conduziu a audiência foi o secretário de Urbanismo, Meio Ambiente e Mobilidade Urbana, Felipe Fochesatto, contando com a presença do prefeito, Alcione Grazziotin; da vice-prefeita, Sandra Zottis; do chefe de Gabinete, Doádi Brena; do secretário de Administração, Rosimar Brandalise; da secretária de Educação, Loreni Schaeffer Tonin; da secretária de Turismo, Cultura, Esporte e Lazer, Veridiana Valar Ciotta; do vereador Claudio Dilda, representando a casa; servidores e comunidade em geral.
O plano tem como objetivo melhorar as condições sanitárias e ampliar a qualidade dos serviços de saneamento ambiental.
Conforme o secretário Felipe Fochesatto, o Plano foi instituído no ano de 2013, através de uma lei regulamentadora que prevê sua finalização até 2033, sendo que o prazo total era de 20 anos para concluir.
– Este plano teve seu início somente no ano de 2021, nesta administração, e, após 17 encontros, de forma organizada, participativa e democrática, realizados por uma comissão, designada pela própria administração municipal, em parceria com a Projeconsult – salienta o secretário.
A apresentação da revisão e ações pretendidas através do plano foi realizada pela bióloga, Cristina Grazziotin e pelo engenheiro civil, Carlos Júlio Lautert, os quais também esclareceram as dúvidas que surgiram durante a audiência e, no final, aprovadas pelos presentes.
O conjunto de ações entendidas como prioridades para o saneamento básico, e foco de avaliação deste processo, compreende o abastecimento de água em condições adequadas; a coleta, o tratamento e a disposição apropriada dos esgotos e resíduos sólidos; a prevenção e o controle do excesso de ruídos; a drenagem urbana das águas pluviais e o controle ambiental de vetores, com a finalidade de promover e melhorar as condições de vida urbana e rural.
O saneamento básico é composto por quatro vetores:
• Primeiro vetor: Abastecimento de água potável, isto é uma questão humanitária, água para todo cidadão;
• Segundo vetor: Esgotamento Sanitário, que é o tratamento do esgoto do município;
• Terceiro vetor: Coleta de lixo e manejo de resíduos sólidos: isso é a destinação correta dos resíduos sólidos ou lixo – separação.
• Quarto vetor: Manejo das águas pluviais, que é mais conhecido como a drenagem, que consiste em drenar o escoamento superficial gerado depois de uma chuva, com o principal objetivo de evitar danos a propriedade, como os causados por inundações.
A importância do saneamento básico se dará na saúde, produtividade, aproveitamento escolar, qualidade de vida, turismo, valorização dos imóveis, dentre diversos outros.
– A partir dos vetores que identificamos, foram estipuladas metas, as quais precisamos atingir, sendo que, destes 20 anos, que era o prazo inicial desde a regulamentação da lei, temos apenas 11 anos para realizarmos todo o projeto, visto que iniciamos no ano passado, pois outras administrações não entenderam como prioridade. Para isso, pedimos apoio da comunidade para que logo possamos alcançar estas metas – finaliza Felipe.
O secretário fala mais sobre este assunto e pode ser ouvido aqui:
A audiência pública na íntegra você pode assistir:
Fotos: Vilson Paludo/AC