Presidente da Amesne e o prefeito de Caxias se dizem confiantes na obtenção da bandeira laranja nesta segunda

O presidente da Amesne e prefeito de Cotiporã, José Carlos Breda, expõe otimismo na possibilidade de reversão da bandeira vermelha de

O presidente da Amesne e prefeito de Cotiporã, José Carlos Breda, expõe otimismo na possibilidade de reversão da bandeira vermelha de risco para contágio pela Covid-19. A Associação dos Municípios da Encosta Superior Nordeste (Amesne) protocolou no final de semana pedido junto ao Governo do Estado. Este apresenta dados atualizados sobre o número de leitos da Região, que teria ganhado mais três leitos de unidade de tratamento intensivo (UTI) em Farroupilha e outros dois em Caxias. As novas UTIs contabilizadas em Caxias foram adquiridas junto ao Hospital do Círculo. Além disso, o Executivo já realizou tratativas com o Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede) da Serra e com a 5ª Coordenadoria Regional de Saúde (5ª CRS).

Foram expostas diferenças entre números apresentados pelo Governo Estadual na atualização do Modelo de Distanciamento Controlado e os dados do Observatório da Saúde (Obsaúde). O recém-criado serviço faz um acompanhamento diário da situação do zoneamento com base nos resultados dispostos pelo sistema do próprio Piratini. Com pouco mais de uma semana de atuação, o Obsaúde foi criado em um conjunto entre a Universidade de Caxias do Sul (UCS), Amesne e Corede Serra, inspirando confiança na administração.

Todavia, a confirmação do nível de alto risco para a Região preocupa. Caso a zona permaneça em bandeira vermelha, uma nova flexibilização poderia ocorrer somente em duas semanas. 

O prefeito de Caxias do Sul, Flávio Cassina (PTB), reconhece a possibilidade e considera que a mesma representaria um desastre para a economia e para a comunidade. Embora exponha a confiança na reversão da bandeira, pontua que se isto não for possível as regras do Estado vão ter de ser respeitadas. Cassina garante que vai trabalhar para que haja recuo na classificação de risco do zoneamento da Serra Gaúcha.

O Modelo de Distanciamento prevê continuidade de restrições às áreas que registrarem bandeira vermelha por semanas consecutivas ou de forma alternada em 21 dias. Nestes casos, o nível de precisa ser mantido até que os zoneamentos apresentem melhoras nos índices por duas avaliações seguidas.

Breda se diz confiante na manutenção da bandeira laranja. 

O recurso protocolado pela Amesne à Secretaria Estadual da Saúde (SES) vai ter o resultado exposto pelo Governo do Estado na tarde desta segunda-feira (29). As bandeiras passam a valer de forma definitiva na próxima terça-feira (30).