A tradição da tosquia de ovelhas

Reportagem especial em homenagem ao Dia do Gaúcho.

A tosquia de ovelha é uma das grandes tradições do campo, uma atividade que também mostra o que é ser gaúcho. A tosquia é realizada para colher a lã dos animais. Em Veranópolis, nossa reportagem foi conhecer o rebanho do Recanto Marista Medianeira.Lá, conversou com Carlos Bassani, responsável pela tosquia há mais de 25 anos. Ele aprendeu a técnica com o Irmão Herbert, ex-diretor do Recanto.
Segundo Carlos, o processo é feito uma vez por ano, depois do inverno, de outubro a novembro, quando as temperaturas começam a subir. “Ela é importante para que as ovelhas não sofram tanto com o calor. Elas têm um bom ‘casaco’ para tirar”

Antigamente era realizada com tesoura manual, levava cerca de uma hora cada ovelha. Hoje, com a evolução tecnológica, o corte é feito com uma máquina elétrica, o que garante mais qualidade. “São cerca de 10 minutos cada ovelha; em um dia, sobra tempo”, afirma Bassani. 

O rebanho é da raça Texel e são 45 ovelhas e 15 filhotes. A tosquia é feita depois do inverno, de outubro a novembro, quando começa a esquentar. Para as ovelhas não sofrerem tanto, pois elas têm um bom “casaco” para tirar. Carlos tosquia as ovelhas, mesmo sem amarrar as pernas, já tem bastante prática. Ele explica a importância da tosquia: “essa manutenção é necessária, caso contrário não terá qualidade, pois as ovelhas sofrerão muito, vão perdendo peso, adoecendo, é até ficam sujeitas a uma pneumonia, por causa do calor”.

Bassani explica que a lã não tem muito comércio logo que é tosquiada, por isso, normalmente, acabam doando. Para ser valorizada, é preciso passar por muitos processos. 

Você sabia?

Um fato curioso e muito interessante da tosquia é que depois que é retirada a lã das ovelhas os filhotes se perdem. Eles demoram um tempo, cerca de uma hora, para reencontrarem suas mães e as identificam pela voz. 

Cuidados com um rebanho

De um modo geral, as ovelhas são animais sensíveis, pois, como diz o ditado, “ovelha não é para mato”. Segundo Carlos, são necessários cuidados diários, e na época da criação e do nascimento, muitas vezes, é preciso auxiliar no parto. 
Todas as noites as ovelhas são recolhidas e colocadas no galpão, onde ficam com água potável, sal mineral e, principalmente, protegidas dos cachorros. De manhã, cedinho, elas são soltas e ficam no pasto durante o dia.