Associação deixa o comando e Prefeitura assume Bombeiros Voluntários em Serafina

Na última semana, em algumas redes sociais, surgiram algumas informações de que o Corpo de Bombeiros Voluntários estaria encerrando suas

Na última semana, em algumas redes sociais, surgiram algumas informações de que o Corpo de Bombeiros Voluntários estaria encerrando suas atividades na cidade de Serafina Corrêa. O assunto movimentou as redes, causando espanto e estranheza da população, afinal, a equipe tem desenvolvido há muito tempo um trabalho importante, e indispensável ao município.

Na manhã desta terça-feira (25), a Secretária de Saúde Salete Cadore, na companhia do servidor público municipal e atual Coordenador dos Bombeiros Voluntários Cristofer Pereira, prestou os devidos esclarecimentos à população. Ao mesmo tempo, alguns representantes da Organização dos Bombeiros Voluntários, reuniam-se com a imprensa para também esclarecer a atual situação.

“Em primeiro lugar, eu gostaria de agradecer a todo o trabalho que vem sendo prestado por esses Voluntários. São pessoas capacitadas que buscaram treinamento e realizam sempre que necessário as ações com muito comprometimento. E claro, esclarecer que nada muda, nada mudou, pois o trabalho que eles prestam são muito importantes para nós de Serafina”, conta Salete.

Desde 2019 o Governo Estadual vem regulamentando o setor, com o objetivo de juntar os esforços entre o Estado e os municípios no combate ao incêndio.  Por conta disso, o município desde então vem trabalhando a adaptação do serviço e passa a seguir orientações específicas da legislação sobre o assunto.  A partir da Instrução Técnica nº 05/ AODC-GCC/2019, emitida pela Secretaria de Segurança Pública, que define critérios, formas de credenciamento e fiscalização dos Serviços Civis Auxiliares de Bombeiros (SCAB) nos municípios do Rio Grande do Sul, várias providências vem sendo tomadas no sentido de organizar o setor.

A Organização dos bombeiros Voluntários vive atualmente uma fase de transição. O município assume mais compromissos de apoiar e suprir com melhor infraestrutura esse serviço.  “O que muda basicamente é que o Município cuidará da parte administrativa, comando, gestão serviços e treinamentos, e o operacional continua com os voluntários, o que muda é apenas o termo de cooperação é o primeiro município a aderir ao SCAB – Serviço Civil de Auxiliar Bombeiro, e por conta disso, acabam acontecendo alguns mal-entendidos, que já estão sendo solucionados. Já conversamos com os Voluntários, para assinarem esse termo junto à Prefeitura, para assim continuarmos a dar andamento dos serviços já prestados”, conta Cristofer.

Os veículos utilizados pela corporação foram legalmente devolvidos à Prefeitura devido à extinção da Associação. Os mesmos veículos, que são patrimônio público, continuam disponíveis para prestar os serviços de socorro à comunidade e contam com a manutenção, o abastecimento e guarda da Prefeitura Municipal, em espaço público.

Dois motoristas, servidores públicos, estão disponíveis para atender aos chamados e apoiar os Bombeiros Voluntários em seus chamados, facilitando o trabalho.

“Outra providência importante foi tomada pelo poder público que destinou um  terreno para a implantação da sede dos Bombeiros Voluntários, sendo que o mesmo já está sendo preparado para receber a estrutura e a edificação da sede dos  Bombeiros.Sendo assim, o serviço continua ativo no Município de forma segura e eficiente, seguindo a normatização proposta pelo Estado do Rio Grande do Sul”, finaliza Salete
 

Projeto protocolado

Vale também ressaltar, que no último mês foi o projeto de lei,que foi protocolado na Assembleia, que regulamenta a atividade de bombeiro voluntário no Rio Grande do Sul. O projeto derruba algumas limitações e permite que a corporação trabalhe em todo o Estado, independentemente do porte da cidade.

Com 1.552 integrantes ativos em 54 associações, em 2019, os bombeiros voluntários ligados à Voluntersul realizaram 27.226 atendimentos no Estado. O projeto elaborado em conjunto com a Voluntersul, nasceu no ano passado e as corporações gaúchas do gênero vivem a expectativa da análise e aprovação da iniciativa.