Breda, prefeito de Cotiporã e presidente da Amesne questiona falta de parceria do Estado com municípios

A classificação em bandeira vermelha não foi bem recebida pelo prefeito de Cotiporã e presidente da Associação dos Municípios da

A classificação em bandeira vermelha não foi bem recebida pelo prefeito de Cotiporã e presidente da Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), José Carlos Breda (PP). Ele afirma que faltou parceria do Governo do Estado com os municípios e um melhor compartilhamento das questões de combate ao coronavírus:

— Recebemos de forma desagradável. Quais foram as medidas orientando as regiões e quais as alternativas possíveis? Esperar o sábado para ver o que aconteceu e aplicar a bandeira não é legal. Até porque a maioria dos leitos não tem a ver com o coronavírus, pois há outras moléstias. Questiono a falta de diálogo e parceria com os municípios.

Breda também argumenta que em todos os anos as UTIs costumam ficar ocupadas nesta época de frio. Ele salienta que os principais municípios da região estavam buscando mais leitos hospitalares, entre outras diversas medidas adotadas contra pandemia, o que deveria ser uma resposta “mais que satisfatória diante do crescimento de todas as doenças”. 

O prefeito de Cotiporã ainda aponta que, em razão da avaliação da macrorregião, sua cidade terá que fechar o comércio sem ter nenhum caso confirmado de coronavírus.

— Basicamente, (o problema) é em Bento e Caxias, mas toda região entra em colapso pela bandeira vermelha. Sempre acatamos (as decisões estaduais contra a pandemia), até porque estava existindo uma conciliação. Mas, não será passivamente. Poderá até ser um consenso aceitar, mas não digo que será de forma tranquila esta adesão. Não descarto avaliar um questionamento deste critério que levou a classificação — afirma o presidente da Amesne.

Fonte: Pioneiro