“Não quero escola cheia; recomendamos que os pais não enviem quem não precisar”, diz secretária de Educação do RS

O governo do Estado anunciou na manhã desta terça-feira o cronograma para a retomada das aulas presenciais na rede pública estadual.

O governo do Estado anunciou na manhã desta terça-feira o cronograma para a retomada das aulas presenciais na rede pública estadual. No entanto, a recomendação da Secretaria da Educação (Seduc) é para que não voltem todos os alunos aos bancos escolares neste momento. Em entrevista à Rádio Gaúcha na manhã desta quinta-feira (29), a secretária da pasta, Raquel Teixeira, pontuou que o retorno é para um grupo específico de estudantes.

— Estamos recomendando fortemente que os pais não encaminhem para a escola quem não precisar, quem estiver fazendo bem o ensino remoto. Não quero escola cheia. A escola estará aberta para atender quem tem deficiência na aprendizagem, deficiência de acessibilidade tecnológica, crianças as quais mães e pais precisem trabalhar e não tenham com quem deixá-las. O objetivo das escolas abertas, prioritariamente, é atender esse público — explicou no programa Gaúcha Atualidade.

Pais que não se sentirem à vontade em mandar seus filhos à escola ou alunos maiores de idade que preferirem permanecer aprendendo a distância têm esse direito, enfatizou a secretária. Segundo ela, além de aulas remotas, essa parcela de estudantes receberá material impresso.

A alternativa de seguir no trabalho remoto, no entanto, não vale para os professores e servidores. De acordo com a Seduc, serão mantidos em trabalho remoto apenas aqueles que estiverem em grupo de risco, seja por idade avançada ou por comorbidades.

— Diferentemente das famílias, os professores não têm essa opção, até pelo compromisso profissional que têm. Quem não está no grupo de risco terá de voltar — afirmou a secretária.

Fonte: GZH