Sicredi completa 25 anos, em Veranópolis, de crescimento com a comunidade

A cooperativa conta hoje com 7 mil associados que recebem atendimento personalizado, sendo esse um dos diferenciais da agência.

A agência do Sicredi Veranópolis comemorou 25 anos de sua criação. Desde o início muitas foram as mudanças e as ampliações, que orgulham os associados e colaboradores. A cooperativa tem um papel importante no desenvolvimento econômico, social, agrícola e de empreendedorismo em Veranópolis. 
Relembrando o início da trajetória, o atual gerente, Vagner Cortelini, agradece a Cooperativa Santa Clara, coirmã da agência. “O Sicredi chegou em Veranópolis junto com a Cooperativa Santa Clara, uma coirmã que trabalhou conosco por um longo período e hoje segue sendo um dos nossos potenciais associados. Ela nos impulsionou há 25 anos atrás nos convidando a conhecer Veranópolis”, agradece, Cortelini.  No início, a Santa Clara, ao buscar campos de atuação, trazia consigo uma solução para seus associados, uma facilidade na busca do crédito agrícola e também um local onde pudessem aplicar seus valores e essa intermediação financeira pudesse permanecer para o próprio associado.         
Hoje, o Sicredi conta com 7 mil associados, conquistados, de acordo com o gerente, graças ao atendimento e à forma de atuar. Ele coloca, também, que o setor primário foi quem recebeu o Sicredi em Veranópolis juntamente com parcela do agronegócio. Vagner complementa: “A cooperativa nasceu para os seus associados, o nosso trabalho diário é fazer com que quem se comunica conosco, perceba que aquele empreendimento é seu. E associo isso à livre admissão dos associados. Porque no início éramos principalmente uma cooperativa de agricultores, depois, em função de resoluções ficou aprovada a livre admissão, abrindo nosso espaço e podendo trabalhar com prestador de serviço, empresário, profissional liberal, ampliando esse leque e chegando no número que tanto nos orgulhamos e agradecemos ao município de Veranópolis”, ressalta. 
Muitas são as soluções financeiras que existem no Sicredi, porém, Vagner aponta que a principal que a cooperativa quer deixar para o associado é a solução que ele precisa. “Hoje existem diversos produtos bancários, o que é comum e passível a todas as instituições financeiras. Obvio que depósito à vista, à prazo, linhas de crédito serão sempre o coração de qualquer instituição financeira, mas o nosso objetivo maior é ter os produtos à disposição dos associados, dependendo da sua necessidade”, destaca. 

Semeando o bem 

O Sicredi investe em projetos sociais, um dele se chama “União faz a vida”. A Cooperativa busca com essas ações uma nova forma des aprender fazendo com que gere um significado e ajude a promover um mundo melhor. Vagner explica que os associados acei-taram disponibilizar parte de suas sobras como fundo social, desse modo o Sicredi auxiliou dez projetos em 2018. “Acreditamos que es-tamos devolvendo para a comunidade parte do que ela nos dá. Foram R$ 3 a 4 menos que cada associado recebeu, totalizando R$ 45000 nesse fundo social”, afirma. Os projetos que recebem esse auxilio são de cunho educacional ou cultural. Para participar, procure o Sicredi para cadastrar o projeto, que passará por uma triagem, pois ele precisa atender a algumas premissas. E após, os coordenadores analisarão o projeto, para assim, no final, selecionar cerca de dez, que serão beneficiados com o fundo social. 

O associado é prioridade

O Sicredi é uma Cooperativa e de acordo com o gerente, o que o diferencia das demais agências bancárias é sua própria constituição. Vagner afirma que atender com a melhor intenção possível é dar ao associado a possibilidade de ser dono da sua própria instituição financeira são os pilares que ajudaram na multiplicação de associados. “A maior diferenciação é que no momento do atendimento, estamos nos relacionando com o dono do empreendimento. Quando ele aporta um valor, ou toma um crédito, esse spread bancário é dele, esse é o grande diferencial. Porque numa outra instituição financeira, seja ela pública ou privada, essa parte spread, vai para o Governo ou banqueiros”, explica. 
Hoje, mais do que um quarto da população já aderiu ao Sicredi. Se for feita uma correlação dos economicamente ativos, sub-traindo as crianças e o público mais idoso, chega-se a mais de um quarto da população. Pensando no futuro e em novas metas, de acordo com Cortelini, o que limita a agência é o espaço físico, sendo que, na atual sala, é possível evoluir cerca de 450 associados, visando manter as características, pois o que os motiva é manter o atendimento, na maior entrega possível para o associado.  Por isso, Vagner adianta que o projeto é ter uma segunda agência. “É muito provável que ocorra, que a segunda agência coroe 2019”, coloca. 
A participação de Vagner Cortelini no Sicredi já completou 20 anos. Ele fez parte de diversas agências da microrregião, dentro da Serrana, como Paraí, Monte Belo e Cotiporã, além de que abriu as agências de Fagundes Varela e Vila Flores. Em Veranópolis, ele iniciou as atividades como caixa, e desde 2008, atua como gerente.