Mudança já para o futebol do RS

Um grupo de profissionais ligados ao futebol está empenhado em mudar o esporte no Rio Grande do Sul. Segundo eles,

Um grupo de profissionais ligados ao futebol está empenhado em mudar o esporte no Rio Grande do Sul. Segundo eles, se não mudar o futebol aqui nos pampas, a vida do principal esporte praticado no Brasil, terá vida curta. Os técnicos envolvidos neste trabalho tem um projeto claro e bem elaborado, que podem sim, mudar o rumo do futebol, e proporcionar trabalho a centenas de pessoas que vivem dele.
O técnico do VEC, Cristian de Souza, é um dos integrantes deste grupo, que tem ainda Paulo Porto, Fabiano Borba, Fabiano Daitx, Vosmir Fabian (Sananduva), entre outros técnicos, preparadores físicos, atletas e integrantes da imprensa.
Para que o amigo tenha uma ideia, o Campeonato Gaúcho deste ano faturou R$ 44 milhões, entre TV e patrocinadores. Destes, 70% foram para a dupla GRENAL e o restante dividido entre os clubes que jogam a Primeira Divisão. Para a grande maioria das equipes do Estado, não sobrou nada. Além disso, o Banrisul, que é o banco de todos os gaúchos, colabora com poucas e escolhidas equipes do Estado. A ideia é que, como em alguns outros países, os grandes sustentem também os pequenos. Para isso, somente um pouco da dupla, um pouco do Banrisul e um pouquinho dos times da A, com claro, a colaboração da FGF, o futebol do RS poderá melhorar e muito. Os clubes poderão jogar por mais tempo e assim empregarem mais gente, poderão sustentar categorias de base. Ela que poderá municiar os grandes com jovens atletas, e transformar o futebol gaúcho. Alguns pontos defendidos pelo grupo são:
– Em julho, ocorreria a pré-temporada dos clubes sem série e, em janeiro, a dos clubes com série nacional.
– Férias: o período de recesso dos clubes sem série seria em maio e junho e dos clubes com série nacional em dezembro.
– Campeonato Gaúcho: disputado por todos os clubes gaúchos sem série nacional, que duraria oito meses, competição inicialmente regionalizada (Norte e Sul), habilitando os cinco melhores para o Gauchão.
– Gauchão: ocorreria em fevereiro e março, com os cinco habilitados do Gaúcho mais os sete times do Estado envolvidos nas Séries B, C e D do Brasileiro. Todos contra todos em turno único, habilitando os quatro melhores ao Super Gauchão, conferindo vagas na Série D ao campeão e vice .
– Super Gauchão: realizado em abril, contaria com os quatro habilitados no Gauchão mais a Dupla GRENAL e distribuiria, aos que obtivessem melhor classificação, as vagas gaúchas na Copa do Brasil. Todos contra todos em turno único com os dois melhores fazendo a decisão.
A ideia é boa, mas sem dinheiro não será possível colocar em prática essas ideias. Portanto, somente com a colaboração da dupla GRENAL e da FGF, que precisa liderar “todos” os clubes, o futebol do Estado vai melhorar e se tornar mais forte. As reuniões estão acontecendo e somente o tempo dirá se as melhorias virão. Boa semana a todos.